Comportamento

Por que temos tanto medo de perder quem amamos?

GISELA RAO
Colaboração para o UOL

25/11/2010 07h00

Se você sentiu um calafrio ao ler a pergunta acima é porque ainda não se achou. Provavelmente, todos os seus holofotes estão sobre o outro e você está vivendo na sombra. Que tal entender melhor este processo?

 

  • Getty Images/Thinkstock

    Algumas pessoas acabam escolhendo a via do sentimento de posse, cercando o companheiro de muitos cuidados como forma de aplacar qualquer possibilidade de perda

“Quando você fica muito insegura é porque a sua autoestima está baixa. Ou seja, você pensa assim: ‘Eu não confio muito em mim para conseguir outro namorado se eu perder este’”, afirma a psicóloga Marina Vasconcellos, especializada em terapia de casais. Para ela, essa insegurança tende a aumentar depois dos 35 anos, quando a mulher ainda se vê solteira. “Em alguns casos, o desespero fica tão grande que a pessoa foca só nisso e deixa de viver outras coisas que estão ao seu redor. Fora isso, ela conhece um rapaz e joga todas as carências nele já no primeiro encontro, como se ele fosse a salvação da sua vida. O namoro com pessoas seguras tem muito mais chances de dar certo”, acredita.

Segundo Luiza Ricotta, psicóloga e autora do livro “Me Separei! E Agora?”, quem investe num relacionamento de forma verdadeira, naturalmente não deseja ver tudo o que deposita em termos de significados escoar ralo abaixo. “Obter segurança é necessário para diminuir esse medo da perda e, para isso, a correspondência precisa acontecer. Quando se estabelece uma base de segurança, em que ambos não criam fantasias, há uma sensação de se estar mais fortemente ligados. Quando as atitudes e comportamentos não são claros, tendem a suscitar tais inseguranças, pois um precisa ser percebido como algo importante na vida do outro e, assim, respeitado”, analisa a psicóloga.

O perigo do excesso de medo no relacionamento é o surgimento de sentimentos, como o ciúme, uma das vias utilizadas como forma de pseudoproteção, pois, ao mesmo tempo em que parece cuidar, acaba por sufocar e limitar. Para Luiza, algumas pessoas acabam escolhendo a via do sentimento de posse, cercando o companheiro de muitos cuidados como forma de aplacar qualquer possibilidade de perda. Porém, deixam de respeitar o espaço de vida do outro, já que estão mais preocupadas consigo mesmas. Isso só tende a acelerar o temido término da relação.

Xô, medo!

A psicóloga Marina Vasconcellos dá três sugestões de ouro para diminuir o medo da perda. Confira:

  1. Seja mais autoconfiante. O outro tem de complementar você e não completar. Se o outro te completa, o que acontecerá quando acabar o relacionamento? Você ficará pela metade?
  2. Invista mais em você e na sua autoestima. Cuide da sua carreira, tenha um hobby, alimente amizades. Não aposte todas as fichas só no relacionamento.
  3. Se você acha que não sabe lidar com o medo da perda e ele se torna um problema, procure um psicólogo. Ele poderá ajudar, inclusive, a superar os medos das coisas da vida em geral.

Opinião das internautas

“Uma das coisas mais difíceis de aceitar na vida é a ‘impermanência’. Ela não está nos nossos planos, mas vai chegando, às vezes de forma sorrateira, às vezes bombástica. Mas, sabe? Essas coisas nos fazem fortes e mais inteligentes se soubermos usar isso a nosso favor! Realmente, o melhor mesmo é depositar todas nossas fichas em nós mesmas e na capacidade que temos de superação. Além de tudo, é preciso parar de aceitar o que a sociedade impõe para sermos felizes.” – Fernanda S. C.

”O medo da perda faz com que eu sofra e tenha medo de entrar em um novo relacionamento. Quando ele vem com muita força, eu o breco...” – Adriana R.

”No meu caso, sabe o que ajudou muito? Morar sozinha. Tudo bem que não é regra, mas quando você tem de se bastar, e convive bastante com a solidão (positiva!) você aprende a se conhecer melhor, com isso está um pouco mais preparada para não querer possuir tanto. Mas que é difícil, isso é.” – Juliana M.

“Uma vez um namorado me disse a frase: “Quanto mais liberdade você me dá, menos eu uso”. Isso me ajudou muito a diminuir o apego, o medo da perda.” – Paula L.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Blog da Morango
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
BBC
Redação
BBC
Redação
Beleza e maternidade
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Comportamento
do UOL
do UOL
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Topo