Relacionamento

Como identificar se vale a pena ou não retomar uma relação?

André Rocca/UOL
Reatar um romance só por sentir falta de ter uma companhia é um erro Imagem: André Rocca/UOL

Heloísa Noronha

Do UOL, em São Paulo

Vocês brigaram, decidiram terminar tudo e cada um foi para um lado. Eis que, depois de um tempo, as boas lembranças surgem na mente, a saudade aperta, um telefona, o outro manda um e-mail e, quando vocês se dão conta, estão nos braços um do outro novamente. 

A vida não é um filme e o final feliz nem sempre depende somente da boa vontade e do amor intenso do casal, como no cinema. Para que o relacionamento possa dar certo dessa vez, os dois precisam levar em consideração vários fatores –como analisar o que moveu a separação.

"Incompatibilidade de gênios ou valores, falta de comunicação, problemas financeiros, expectativas diferentes... São muitas as razões que podem ter conduzido à ruptura. Durante a separação, os dois devem ter refletido sobre isso e sobre o quanto estão dispostos a mudar ou a ceder ao reatarem", diz a psicóloga Iracema Teixeira, doutora em Psicologia pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Ela afirma que o sucesso e o fracasso de uma relação dependem das duas partes. Portanto, não adianta um só baixar a guarda ou se sentir o dono da razão. É preciso que os dois encontrem, juntos, um ideal de equilíbrio. Na empolgação de retomar o romance, as questões práticas podem acabar esquecidas. E é no dia a dia que as arestas a aparar surgem. "A volta tem de ser marcada por uma disponibilidade interna de fazer dar certo", diz Iracema.

Para a psicóloga Raquel Fernandes, a escolha que alguns casais fazem de tentar retomar o relacionamento de onde ele parou não costuma funcionar. A fase de separação tem de servir para o crescimento pessoal, em que homens e mulheres repensem suas atitudes e avaliem o que têm a oferecer ao outro em um relacionamento.

"Voltar apenas por saudade, por desespero, não dá certo, assim como é um equívoco querer apagar tudo o que houve e recomeçar do zero", declara Raquel.
 

 
 

Quando não reatar


A psicóloga e terapeuta de casais Iara Camaratta Anton, autora de "A Escolha do Cônjuge" (Ed. Artmed), diz que existem três razões capazes de condenar um retorno ao fracasso. O primeiro são as mágoas mal resolvidas. "Se um dos dois ainda guarda ressentimento, precisa elaborar melhor a decisão. Só amor e vontade de recomeçar não bastam, pois em algum momento o que incomoda virá à tona e vai estragar o relacionamento novamente", diz ela.

Outra razão a considerar é reatar por pressão de familiares ou amigos que consideram o casal praticamente "indestrutível". Muitos, na tentativa de ver os dois juntos de novo, até apelam para argumentos como "o mercado amoroso anda mal" e "antes mal acompanhado do que só". Mas lembre-se: quem viverá a relação do jeito que ela é de verdade é você, e não quem incentiva as pazes sem saber o que se passa de fato.


O terceiro motivo, e mais comum, é reatar o romance porque não achou ninguém melhor e se sente incapaz de viver só. "Para mim, esse é o mais grave. Se uma pessoa não consegue ser feliz sozinha, com os próprios recursos, dificilmente conseguirá isso ao lado de alguém", diz Iara. O outro será uma espécie de muleta, e essa é a alternativa menos ruim de acontecer.

"É diferente sentir saudade da pessoa e sentir saudade da função que ela ocupava em sua vida. Será que o 'ex' ou a 'ex' não serviam apenas como companhia?", pergunta a psicóloga Raquel Fernandes. É preciso, portanto, diferenciar do que você sente saudade: se da pessoa com quem você terminou ou de ter um acompanhante para ir ao cinema, jantar fora e frequentar festas.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Comportamento
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Comportamento
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
BBC
Vya Estelar
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo