Relacionamento

Não aceite pessoas egoístas no sexo e deixe claro o que você quer

Lumi Mae/UOL
Lembre-se: forçar uma pessoa a fazer coisas que ela não gosta é um erro Imagem: Lumi Mae/UOL

Heloísa Noronha

Do UOL, em São Paulo

04/12/2014 09h09

A palavra-chave do bom sexo é troca; mas, infelizmente, muita gente não se preocupa muito com o prazer do outro. Transar apenas quando quer, pedir sexo oral e se recusar a fazer, impor posições ou variações que causam desconforto alheio e evitar beijar na boca contrariando o desejo do par são apenas alguns exemplos de atitudes que as pessoas egoístas no sexo costumam ter.

"Seu único interesse é a própria satisfação. O par passa a ser um mero coadjuvante", diz o ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Jr., professor e médico do Serviço de Sexologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). O prazer do parceiro pouco ou nada importa.

Segundo Amaury, infelizmente, alguns indivíduos acabam se submetendo a práticas que não gostam. Os motivos vão desde amor, medo da perda e do abandono, baixa autoestima até uma tentativa de transformar o sexo casual em um relacionamento sério.

"Muitos egoístas até se empenham nos carinhos até atingir seus objetivos. Depois, caem fora”, fala a terapeuta sexual Carla Cecarello, fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade).


Quem deseja levar a relação adiante e melhorá-la na cama –até porque um sexo ruim pode comprometer outros aspectos da vida– deve saber que abrir o jogo sobre o que sente é o primeiro passo. Mesmo porque o egoísmo, às vezes, é, fruto de uma educação conservadora, em que a pessoa aprendeu que determinadas práticas são erradas.

"Ela pode ter crescido com a ideia de que sexo oral, por exemplo, é algo sujo ou pecaminoso, daí o constrangimento na hora de fazer", comenta a terapeuta sexual Arlete Girello Gavranic, do Isexp (Instituto Brasileiro Interdisciplinar de Sexologia e Medicina Psicossomática).

Cabe à pessoa que se sente lesada ou injustiçada, então, conversar e mostrar o quanto algumas atitudes podem significar interesse e carinho e que o investimento no prazer a dois é algo muito importante. De acordo com Juliana Bonetti Simão, psicóloga especializada em sexualidade da capital paulista, questões afetivas também devem ser levadas em consideração.

Getty Images
"Exemplos? Para determinado homem é muito importante depois do sexo poder conversar com a parceira, mas ela costuma tomar banho em seguida. Ou, então, quando a mulher se ressente de que o par dá carinho e faz elogios quando quer sexo, mas não demonstra afeto no dia a dia", diz.

Seja quais forem as circunstâncias, o diálogo é sempre o melhor caminho. Funciona? Depende. “Ninguém muda ninguém, a não ser que a pessoa queira. Porém, é possível impor suas vontades, não ceder à submissão e fazer o par perceber o próprio egoísmo, sempre explicando que o sexo é uma troca e que os direitos são iguais", fala Carla.

"Algumas pessoas passam a ceder e a entrar no jogo da troca, mas se o egoísmo for um traço muito presente nas relações gerais dessa pessoa, a mudança é mais difícil de acontecer. Às vezes, há a necessidade de terapia para que ela aprenda a fazer concessões", completa Arlete. Mas é importante ter em mente que ninguém deve se sentir obrigado a realizar alguma prática sexual que não se sente bem. O prazer só é saudável quando agrada as duas pessoas. 

Para a psicóloga Juliana, se a pessoa estiver aberta à mudança, mostrará disponibilidade em ouvir e, a partir disso, se colocar no lugar do outro e entender suas necessidades. “No entanto, não se deve esperar uma transformação de comportamento radical do par. Quando se trata de sexualidade, o ideal é sincronizar aquilo que cada um gosta e procurar estabelecer um meio termo. Nesse caso, ambos podem descobrir maneiras criativas de lidar com as diferenças”, declara.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
"Fui marmita de traficante"
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Opiniões Estilo
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Blog do Fred Mattos
Redação
Redação
Topo