Equilíbrio

Estudo aponta que inovação e religião não andam juntas

Getty Images
Países mais religiosos tendem a ser menos inovadores Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/05/2015 19h19

Países mais religiosos tendem a ser menos inovadores, segundo um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos.

A conclusão foi feita a partir de dados de cinco edições da WVS (World Values Survey), pesquisa global realizada em cerca de 100 países, que explora os valores e crenças dos indivíduos, como eles mudam ao longo do tempo e qual é o impacto social e político que possuem.

Segundo a publicação inglesa “The Economist”, em 2005, um dos anos avaliados, o Brasil apresentou menos patentes registradas que Irã e Rússia, por exemplo. Ao mesmo tempo, mostrou um  nível de religiosidade maior do que os países citados. 

Onze indicadores a favor da inovação --como atitudes em relação à ciência e tecnologia--, foram cruzados com cinco medidas religiosas, envolvendo crenças e frequência em cultos, além de outros fatores sociodemográficos. 

De acordo com os autores, a pesquisa não pretende provar que a fé seja responsável por um déficit de inovação. No entanto, concluíram que "a religiosidade está uniformemente e de forma significativa associada a visões desfavoráveis ao progresso científico".

Porém, o estudo deixa claro que, se a religião diminui o desenvolvimento tecnológico, não significa necessariamente que isso seja ruim para o crescimento econômico. Afinal de contas, a fé poderia oferecer outros benefícios, tais como a coesão social.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
BBC
Redação
Redação
BBC
UOL Estilo
Redação
BBC
Redação
Redação
BBC
do UOL
Redação
UOL Estilo
Redação
BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Topo