Comportamento

Atualizada em 10.06.2015 21h51

Farmacêutica causa polêmica ao chamar cólica feminina de "mimimi"

Reprodução/Facebook
Texto da nova campanha do remédio para cólicas Novalfem imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

Depois dos protestos nas redes sociais provocado pela propaganda do Novalfem, a Sanofi, fabricante do produto, enviou ao "Meio e Mensagem", publicação especializada em comunicação, marketing e mídia, nota informando que vai reavaliar a campanha.

O texto do laboratório diz que a proposta da campanha "Sem Mimimi" foi "abordar de maneira leve alguns desconfortos que as mulheres vivem", com o propósito de ajudá-las a superá-los. O Novalfem é um analgésico indicado para aliviar os sintomas de cólicas menstruais e enxaqueca de leves e moderadas. 

O vídeo promocional da marca, estrelado pela cantora Preta Gil, continua no ar. 

A campanha foi criada pela agência Publicis Brasil, que, diante das reclamações de internautas, postou em sua página oficial no Facebook:

“Nosso objetivo com a campanha de Novalfem é ajudar as mulheres que sentem dores leves e moderadas a conseguir manter a rotina e aliviar o desconforto, usando um tom leve para falar de um assunto sério. Em nenhum momento, tivemos a intenção de minimizar as dores das mulheres ou de ofender quem sofre com doenças e problemas mais graves, para os quais a consulta a um médico é sempre aconselhada.”

Veja, abaixo, alguns do comentários publicados nas redes sociais e o vídeo da propaganda.

Confira o vídeo promocional da campanha:

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo