Comportamento

Sexo começa na cabeça; entenda

Getty Images
O cérebro interpreta e percebe tudo o que se passa com o corpo, da dor ao prazer Imagem: Getty Images

Yannik D´Elboux

Do UOL, no Rio de Janeiro

A anedota de que o cérebro é o órgão sexual mais importante do corpo humano não deixa, no fim das contas, de estar certa. O sexo começa e termina mesmo na cabeça. Sem a comunicação entre os neurônios, as células nervosas dessa parte do organismo, seria impossível experimentar qualquer sensação, inclusive o orgasmo.

“Nós percebemos o prazer sexual com o nosso cérebro, por isso ele pode ser considerado um órgão sexual”, afirma Barry Komisaruk, professor de psicologia da Universidade de Rutgers, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, e pesquisador sobre sexualidade humana e neurociência.

Além de coordenar todas as funções fisiológicas, o cérebro é responsável pela interpretação e percepção de tudo o que se passa com o corpo, da dor ao prazer.

Segundo o psiquiatra Waldemar Mendes de Oliveira Junior, médico assistente do Serviço de Psicoterapia do HC (Hospital das Clínicas), da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), o órgão tem papel fundamental na captação dos estímulos e na resposta sexual.

Supere obstáculos do sexo

Algo atrapalha a sua vida sexual? Posições ajudam a resolver

Clique para ver o infográfico

Todas as sensações que veem de fora, como a excitação visual, olfativa, tátil e auditiva, essenciais para o despertar sexual, são também percebidas pelo cérebro. “Nesse sentido, ele propicia que o órgão genital possa responder adequadamente aos estímulos e funcionar”, afirma Oliveira.

O cérebro atua como um sistema de feedback, ou seja, de resposta para o corpo. Contudo, o que acontece na cabeça pode ser ainda mais essencial ao prazer. “O contato físico é importante, mas não é necessário”, declara o médico Mario Fiorani Junior, professor do IBCCF (Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho) da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Por essa razão, a estimulação sexual também funciona quando existe apenas na imaginação.

Momento do orgasmo

A maior parte dos sistemas cerebrais, segundo Barry Komisaruk, é ativada durante o orgasmo. Essa intensa atividade cerebral é fundamental para o clímax sexual. E a prova mais evidente de que o cérebro desempenha um papel crucial no sexo reside na capacidade de alguns homens e mulheres de chegar ao orgasmo sem estímulo genital, sobretudo pessoas com paralisias.

Obviamente, o restante do corpo não é indispensável na hora do orgasmo. As sensações prazerosas desse momento resultam da combinação das reações periféricas, ou seja, do estímulo dos genitais, por exemplo, e do sistema nervoso central. “Durante o orgasmo, acontecem contrações rítmicas da musculatura da pélvis, taquicardia, aumento da pressão, arrepio e a sensação de prazer vinda do sistema nervoso central”, descreve Waldemar de Oliveira.

Aspectos psicológicos

O cérebro levado em conta como mente, sede de todos os pensamentos e emoções, também influencia o sexo do ponto de vista psicológico. A visão positiva ou negativa da sexualidade afeta a capacidade de sentir prazer.

“O que dá prazer é algo muito ambíguo. A sexualidade está ligada ao sistema límbico e às nossas repressões”, afirma Mario Fiorani.  O sistema límbico é a unidade do cérebro responsável pelos comportamentos emocionais e sexuais, entre outros.

Como o desejo surge em primeiro lugar na mente, traumas, abusos, formação religiosa rígida ou educação repressora podem gerar problemas ou disfunções sexuais. Para desfrutar bem do sexo, é preciso se livrar dos conflitos. O médico do HC também ressalta que, muitas vezes, a incapacidade de ter orgasmo está ligada à dificuldade de se entregar. “Existem bloqueios tão profundos que nem por meio da masturbação a pessoa consegue chegar ao orgasmo”, diz Oliveira.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Topo