Vida no trabalho

Tem cientista defendendo masturbação no trabalho para relaxar; mas pode?

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL

26/01/2017 11h35

Tabu até mesmo nas mesas de bar, a masturbação agora chegou à esfera corporativa. Não foi sem estranhamento que duas pesquisas nos EUA levantaram a questão e foram tema de análise de especialistas. No Brasil não é diferente. O UOL procurou uma especialista em sexualidade e um advogado para saber o que está em jogo numa prática que todo mundo cala, mas que muitos escritórios conhecem.

No começo de 2017, psicólogos ouvidos pelo jornal “Metro” britânico afirmaram que a masturbação no trabalho poderia ser bastante positiva, uma vez que seria uma potente arma contra o estresse. Antes disso, um artigo da revista eletrônica norte americana Ravishly declarou que “masturbação era o novo ’intervalo para o cigarrinho’” e, em 2016, a Guyfi, uma empresa que oferecia cabines com wifi para que os homens pudessem “se aliviar” em Nova York divulgou que 40% dos trabalhadores da cidade se masturbavam no trabalho.

Será que o tabu cai?
Cátia Damasceno, especialista em sexualidade feminina do Programa Mulheres Bem Resolvidas, afirma que, antes de pensar se estas considerações e estatísticas serão reveladas aqui no Brasil, “é preciso ter bom senso e não deixar isso interferir no trabalho”.

A especialista também alerta que é importante prestar atenção se essa necessidade é recorrente. “Nesse caso, é interessante procurar a ajuda de um profissional da área médica para saber até onde isso é saudável”.

O ponto pacífico é das vantagens da prática, que, segundo Cátia, pode ter efeito mais relaxante que o sexo, “pois não existe uma cobrança de desempenho ou uma preocupação de satisfazer o outro”.

Mas pode?
“A priori e de forma objetiva sim, a masturbação no ambiente do trabalho poderá gerar uma demissão por justa causa”, diz o advogado e professor de Direito, Marcelo Melo. O artigo 482, alínea "b" da CLT deixa claro que "constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: incontinência de conduta ou mau procedimento".

A chamada incontinência de conduta diz respeito as pessoas que não conseguem reprimir seus impulsos sexuais no ambiente de trabalho, já o mau procedimento diz respeito a um procedimento incorreto, irregular que atente contra as regras legais ou morais.

Se, além da norma, o caso pedir provas, um simples testemunho de colegas pode ser considerado uma evidência, como explica Marcelo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
do UOL
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Plano de Carreira - Daniela Lago
Escolha Sua Vida
Redação
BBC
Redação
Escolha Sua Vida
Comportamento
Redação
Redação
Redação
BBC
Comportamento
Glamurama
Comportamento
Comportamento
Plano de Carreira - Daniela Lago
Webmasters
Folha de S. Paulo
Topo