Comportamento

Morte de jovem de 19 anos que fez bariátrica será investigada

Reprodução/Facebook
Amanda Rodrigues, que morreu devido a uma embolia pulmonar, após se submeter a uma cirurgia bariátrica Imagem: Reprodução/Facebook

Adriana Nogueira

Do UOL

03/02/2017 15h33

O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro) abriu sindicância para apurar responsabilidades sobre a morte de Amanda Rodrigues, 19 anos. A jovem se submeteu a uma cirurgia bariátrica em 17 de janeiro, no hospital Dr. Beda, em Campos dos Goytacazes (RJ). Amanda morreu no dia 28 devido a uma embolia pulmonar, uma complicação da operação. A história de Amanda –que sofria bullying por ser obesa desde a infância—foi relatada pela irmã dela, Mayara, em um post no Facebook, que já teve mais de 260 mil reações e mais de 75 mil compartilhamentos.

A sindicância é a fase de apuração do caso e precede o processo ético profissional. Em caso de condenação, as punições vão desde advertência confidencial até a cassação do exercício da medicina.

Segundo a assessoria de imprensa do Cremerj, a repercussão do caso na mídia fez com que o órgão tivesse a iniciativa de investigar as circunstâncias da morte de Amanda. Não há um prazo definido para a conclusão da sindicância.

Já a família da jovem registrou um boletim de ocorrência contra o cirurgião Gustavo Cunha Rodrigues, que fez a cirurgia bariátrica em Amanda. Eles alegam que o profissional sabia que havia casos de trombose –que é a formação de coágulos sanguíneos nas veias—na família materna da garota. Foi o deslocamento desses coágulos para o pulmão que provocou a embolia que vitimou Amanda.

Em entrevista ao UOL, na quarta-feira (1º), o médico disse que seguiu todos os protocolos de atendimento da SBCBM (Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica).

“A Amanda passou por todas as etapas do pré-operatório, com exames de laboratório e imagem, e avaliações de cardiologista, endocrinologista, nutricionista e psicólogo. Todos os profissionais a liberaram para a operação”, afirmou o especialista, que é membro associado da SBCBM.

De acordo com a endocrinologista Maria Edna de Melo, presidente da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica), o tromboembolismo pulmonar –problema que aconteceu com Amanda Rodrigues-- é uma das complicações mais temidas de vários procedimentos cirúrgicos, inclusive da cirurgia bariátrica.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
UOL Estilo
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo