Equilíbrio

Vingança serve como estímulo para emagrecer? Khloé Kardashian acha que sim

Adriana Nogueira

Do UOL

15/02/2017 15h59

“Revenge Body” (corpo da vingança, em tradução livre do inglês) é o nome do programa de TV que Khloé Kardashian estreou no canal pago E!, nesta terça-feira (14). A proposta é ajudar uma pessoa a emagrecer e exibir a transformação para algum “desafeto”, como um ex-namorado traidor ou uma “amiga” que fazia bullying por causa do peso. A atração dá a entender que a vingança pode ser um bom estímulo para entrar em forma, mas será que isso funciona na vida real?

“Alguns indivíduos podem se inspirar e emagrecer, mas, se funcionasse com todo mundo, haveria uma diminuição drástica no número de obesos no mundo, o que não está acontecendo”, afirma a endocrinologista Maria Edna de Melo, presidente da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica).

Para a médica, o recurso da vingança como fonte de inspiração para o emagrecimento pode ser bastante perigoso. “Muitas pessoas podem se sentir menosprezadas e incapazes de emagrecer”, fala Maria Edna.

A psicóloga hospitalar Sabrina Gonzalez, especialista em obesidade e transtornos alimentares, diz que emagrecer para provar e/ou mostrar algo para alguém é um mecanismo que tende a falhar uma hora ou outra.

“A insatisfação com o corpo não foi provocada pelo ex-namorado ou pela amiga. Ela já existia, incomodava. Se o desejo de se vingar fizer a pessoa refletir sobre a origem do problema com o peso pode ser positivo, mas, se ficar só em emagrecer por causa do outro, a mudança não será duradoura”, declara Sabrina.

De acordo com a presidente da Abeso, apenas de 5% a 10% dos pacientes que emagrecem conseguem manter o resultado a longo prazo.

Para Maria Edna, programas de TV como o “Revenge Body” fazem da perda de peso apenas uma questão estética e transferem para o obeso toda a responsabilidade sobre os quilos a mais.

“A obesidade é uma doença, não resultado da falta de força de vontade do indivíduo. Para o paciente obeso, comer menos e escolher melhor o que ingerir é difícil. Além disso, muitas vezes, há um organismo em desequilíbrio metabólico por trás dos quilos a mais.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
UOL Estilo
Redação
BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
NE10
Redação
BBC
Redação
Topo