Comportamento

"Fiz mais do que beijar uma garota", diz Katy Perry, em premiação LGBT

Getty Images
A cantora Katy Perry, na cerimônia do Human Rights Campaign's 2017, que aconteceu em Los Angeles, nos EUA Imagem: Getty Images

Do UOL

Neste sábado (18), Katy Perry foi homenageada pelo Human Rights Campaign --grupo de defesa dos direitos civis dos LGBT nos Estados Unidos—por sua atuação em prol dessa comunidade. A cerimônia aconteceu em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Em seu discurso ao receber a homenagem, ela falou sobre como foi superar os conflitos entre a criação religiosa que recebeu e a percepção de que a sexualidade “não era preta e branca”. Veja trechos da fala a seguir.

“Sou só uma cantora e compositora. Falo as minhas verdades e mostro minhas fantasias nessas músicas pop. Por exemplo: ‘I kissed a Girl and I Liked it’. Verdade seja dita, a) fiz mais do que isso [beijar uma garota]. E b) como ia conciliar isso com a cantora gospel criada em grupos de jovens pró-conversão gay? O que sabia era que estava curiosa, e, mesmo assim, sabia que a sexualidade não era preta e branca como esse vestido [em referência ao modelo que usou na premiação]. E honestamente, nem sempre acertei. Mas, em 2008, quando a música foi lançada, sabia que havia começado uma conversa, que boa parte do mundo parecia curiosa o suficiente para entrar nela.”

“Minhas primeiras palavras foram ‘mamãe’ e ‘papai’, ‘Deus’ e ‘Satanás’. (…) Quando estava crescendo, a homossexualidade era sinônimo de abominação e de inferno.(…) Então, por boa parte da minha adolescência, ignorei a homossexualidade. Mas, então, no meio de tudo isso, em uma reviravolta, encontrei meu dom, e ele me fez conhecer pessoas fora da minha bolha. Minha bolha começou a explodir. Eu não precisava temer essas pessoas, como havia sido ensinada. Elas eram as pessoas mais livres, fortes, amáveis e compreensivas que já conheci. Elas estimularam minha mente, encheram meu coração de alegria e dançaram enquanto isso acontecia. Essas pessoas são mágicas de verdade e são assim pois estão vivendo a verdade delas. Que revelação –e não é o último capítulo da Bíblia.”

“Tem sido uma longa jornada para mim e para vocês também. Sei que não é sempre seguro ser quem você é, mas eu não teria escolhido outra maneira. (…) Muitas das pessoas que eu admiro, confio e trabalho pertencem à comunidade LGBTQ [o Q se refere a quem questiona a própria identidade sexual] e, sem elas, seria metade da pessoa que sou hoje. Minha vida é rica por causa delas. São aliados que oferecem um espaço seguro para falhar, para não saber tudo e para cometer erros. Espero que esteja aqui como prova de que independentemente de onde você vem, o importante é para onde você está indo. Uma verdadeira evolução e mudança de percepção pode acontecer se abrimos nossas mentes e acalmarmos nossos corações. As pessoas podem mudar, acreditem em mim.”
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
UOL Estilo
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo