Comportamento

Emilly precisa saber que detonar "ex" diz mais sobre ela do que sobre ele

Reprodução/TV Globo
No "BBB", Emilly já foi criticada por Vivian por ficar expondo os ex-namorados no reality show Imagem: Reprodução/TV Globo

Adriana Nogueira

Do UOL

24/03/2017 14h55

Falar de ex-namorados é um comportamento frequente da BBB Emilly, tanto que ela já alvo de críticas por parte de Vivian, sua colega de confinamento. A estudante já disse que o cantor sertanejo Juliano –com quem se relacionou—quis ter um filho com ela e falou mal do “ex” mais recente, que acabou se defendendo nas redes sociais. O que a sister não desconfia é que a atitude pode pegar mais mal para ela do que para as pessoas que são alvo de seus comentários.

“Ficar falando do outro tem mais a ver com ela do que com ele e pode ter várias leituras, mas a mensagem principal que passa é que ela não está resolvida em relação a essas histórias passadas”, afirma a psicóloga e terapeuta sexual Maria Cristina Romualdo Galati, doutoranda pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Falar de um relacionamento anterior pode ser uma forma que a pessoa encontrou de lidar com aquela separação. É natural, desde que não se torne repetitivo.

O que se fala e para quem

“O que determina se não é um comportamento saudável é a frequência com que se faz isso e em que momentos”, afirma a psicóloga clínica e hospitalar Sabrina Gonzalez.

Maria Cristina diz que, embora um impulso comum do ser humano quando está triste ou com raiva, é preciso refletir quando falar mal do ex-par sinaliza algo de errado com a própria pessoa. “Será que não quero provar que sou ‘boa’ falando que o outro é ‘ruim’?”

Quando o indivíduo se abre com o atual parceiro, a fala pode ter a intenção de dar um aviso do tipo “não me machuque de novo”, mas o problema é que não se tem como controlar o que o outro vai interpretar. “Faz parte de se relacionar um saber do do passado do outro, mas só faz sentido se for um diálogo, não só um falando, sem prestar atenção no que se fala e em que momento. Em algumas circunstâncias, saber do passado do outro só dói”, declara Sabrina Gonzalez.

Sair falando para todos e em qualquer lugar –seja nas redes sociais ou no “BBB”—pode gerar desconfiança sobre a índole da pessoa. “Por que será que ela quer se fazer de coitadinha?”, questiona Sabrina.

Ultrapassando a questão do relacionamento a dois, o comportamento pode pegar mal, inclusive, profissionalmente, de acordo com Maria Cristina. “Hoje em dia, é bastante comum que as empresas olhem as redes sociais dos candidatos a trabalharem nela, e o comportamento pode passar a imagem de que a pessoa não é confiável, afinal, está expondo na internet algo que deveria ser vivido a dois.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Comportamento
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Topo