Sexo

Três homens assumem fetiche por pés: "Sinto orgasmo só de olhar"

Getty Images
Para os podólatras, os pés são a parte mais sensual do corpo feminino, ficam excitados apenas de olhar Imagem: Getty Images

Melissa Diniz

Do UOL

08/04/2017 04h00

Em Depoimento ao UOL Estilo, três homens falam sobre seu fetiche por pés e que apenas ver as fotos já podem levar a um orgasmo.

O auxiliar administrativo Daniel Gomes, 23, de Piracicaba, interior de São Paulo, afirma ser apaixonado por pés femininos desde criança. "Minha paixão começou na infância, mas aflorou, mesmo, como fetiche sexual, na adolescência."

O impulso inicial, explica, aconteceu quando ele tinha entre sete e oito anos de idade. “Uma amiga da minha mãe estava em casa e eu fiquei brincando com os pés dela, isso me marcou profundamente, a ponto de me lembrar até hoje daquele momento. A partir disso, quando via os pés das atrizes nas novelas, ficava hipnotizado."

Já adolescente, ele entendeu melhor o fetiche. "Eu assistia pornografia só para procurar cenas que mostrassem o ator chupando os pés das atrizes, elas com as solas à mostra ou usando sapatos bem bonitos e atraentes."

Daniel não fala abertamente sobre a podolatria com qualquer pessoa, pois teme ser mal compreendido. "Sou tímido e não é todo mundo que aceita esse fetiche. Acho que poderia sofrer algum tipo de bullying ou de chacota. Então, decidi criar um grupo fechado no Facebook sobre o assunto."

A ideia, explica, é reunir outras pessoas que tenham o mesmo desejo e compartilhar imagens de pés femininos e sapatos. "Muitas mulheres postam fotos de seus próprios pés em busca de elogios. Para mim, essas imagens funcionam como nudes, só de ver, fico doido."

Arquivo pessoal
Em vez de nudes, Daniel recebe fotos de pés Imagem: Arquivo pessoal

"Antes de namorar a minha esposa, pedi para ver os pés dela"

Solteiro, o técnico em segurança do trabalho Adailton Guedes Santos, 25, de Montes Claros (MG), também percebeu na infância sua atração por pés de mulheres. "Sempre admirava os pés das minhas tias, primas, procurava tocar, encostá-los sobre meu corpo. Mas só descobri que isso se chamava podolatria depois que pude ter acesso à internet. A partir daí, fui pesquisando mais, entrei em grupos das redes sociais, conheci adeptos e fui me aprofundando sobre o assunto."

O historiador Rodrigo Celi Veiga Dias, 35, de Senador Firmino (MG), também é podólatra. Casado há dois anos, ele conta que gosta de admirar pés femininos desde os 16 anos. "Só descobri que se tratava de podolatria há uns três anos, por meio de grupos do Facebook. Antes de namorar a minha esposa, a primeira coisa que fiz foi pedir para ver os pés dela. Ela acha estranho o meu fetiche, mas aceita, embora às vezes role um pouco de ciúme."

Ele participa de grupos para compartilhamento de imagens de pés: "Para quem é podólatra, o simples fato de ver uma foto ou vídeo de um pezinho bem cuidado pode levar ao orgasmo. Nós trocamos fotos e vídeos, principalmente dos flagras que fazemos nas ruas. Já fiz várias amizades na rede e acontecem encontros e festas entre os participantes."

Adailton diz que a podolatria virou moda. "Faço parte de alguns grupos, infelizmente, hoje as pessoas acham que podolatria é uma modinha, mas fiz bons amigos e que vivem esta paixão em sua essência verdadeira. As imagens de pés excitam tanto quanto a pornografia ou, às vezes, até mais. No meu caso a excitação é maior vendo um pé do que o bumbum."

"O que mais curto são as solas dos pés"

Arquivo pessoal
Rodrigo gosta de beijar e chupar os dedos da mulher Imagem: Arquivo pessoal

“Quando passa uma mulher, eu já olho direto para baixo, para ver se os pés são bonitos, nem reparo no rosto, no bumbum ou no seio”, diz Daniel.

Ele explica que para ele, o mais excitante é o formato das unhas e os dedos. “Gosto demais de unhas pintadas, principalmente de vermelho, embora concorde que tons naturais, tipo nude, também tenham a sua beleza. Amo tamancos e acho sexy quando tem um anel no dedo para dar aquela apimentada.”

Adailton afirma que sempre repara nos pés quando caminha nas ruas e procura tirar fotos sem que as mulheres percebam, os chamados flagras de pés. “Não importa onde eu esteja, na rua ou em uma festa. Tenho até um Instagram onde compartilho minhas fotos dos flagras. Uma vez, perceberam quando tentava tirar fotos dos pés de uma garota na rua, fiquei meio sem graça e saí de perto.”

Apesar de gostar dos pés femininos, em geral, o que mais chama sua atenção são as solas dos pés. “Elas me fascinam mais, principalmente se estiverem sujas. Amo todos tipos de sandálias, exceto botas. Prefiro unhas claras, tipo francesinha.”

Rodrigo prefere os dedos. “Gosto do formato, principalmente do dedão, das unhas, de como elas são feitas. Adoro quando estão pintadas de vermelho e de preto e amo ser pisado, ter os pés passados na cara, chupar os dedos e receber ‘footjob’ (masturbação com os pés).”

Adailton é fã de “trampling” (ser pisado). “Esta é minha prática preferida. Também gosto do toque dos pés em meu corpo e de práticas envolvendo humilhação. Além de chupar dedos, gosto de lamber solas, principalmente sujinhas. Mas não curto chulé, nem meias usadas.”

"Já me mandaram procurar tratamento"

Rodrigo optou por falar abertamente sobre sua paixão. “Acho que quando se entra num fetiche qualquer que seja ele, é preciso estar disposto a encarar críticas e deboches. Não vejo a menor graça em praticar um fetiche tendo que esconder. Contar traz vários benefícios. No meu antigo trabalho, as colegas sempre mostravam os pezinhos por saberem que eu gostava.”

Adailton não esconde dos amigos que é podólatra, mas nem todos os familiares sabem. “Acho que alguns não aceitariam bem. Minha ex-namorada uma vez me mandou procurar tratamento. Disse que eu era louco, doente. Já me preocupei muito com críticas, hoje não dou mais importância. Não faço mal a ninguém, vivo minha vida feliz e não me vejo sem a podolatria.” 

"Já procurei prostitutas só para ser pisado"

Arquivo pessoal
Adailton gosta de ser pisado por mulheres de salto Imagem: Arquivo pessoal

Quando o desejo bate, mesmo os mais tímidos acabam se rendendo, ainda que em lugares públicos. “Uma vez, fiquei com uma colega de escola no Carnaval. Estávamos nos beijando em um local escuro, quando pedi que ela tirasse o tênis. No começo, ela achou que era loucura, mas topou. Comecei a cheirar seus pés, a chupar e a lamber cada dedinho. Ela tinha as solas limpinhas e usava apenas base nas unhas”, conta Daniel.

Rodrigo viveu uma história picante quando ainda estava solteiro. “Eu conheci uma feet (mulher que gosta de exibir os pés) em um grupo do Whatsapp. Certo dia, ela disse que ia passar perto do meu trabalho e perguntou se eu não queria dar uma fugida rápida para beijar os pés dela. Eu aceitei na hora, dei uma saída do trabalho e beijei os pés dela dentro do carro, bem na frente de onde trabalhava com um monte de pessoas passando.”

Adailton conta que já procurou prostitutas apenas para ser pisado. "No início, quando ainda não me assumia, já fui várias vezes a casas de prostituição só para ser pisado pelas garotas. Tenho várias fotos disso e com as marcas do salto pelo corpo, é uma dor boa, que gosto."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
do UOL
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
do UOL
Redação
BBC
Comportamento
Redação
do UOL
Redação
do UOL
Comportamento
Redação
do UOL
Redação
do UOL
Topo