Comportamento

5 situações rotineiras que um hétero nem imagina que são privilégios

Do UOL, em São Paulo

13/06/2017 17h34

As pessoas estão mais modernas e, já há algum tempo, não causa mais nenhum choque para a sociedade você beijar o seu namorado na rua, andar de mãos dadas com ele(a) ou mesmo adotar um filho. Mas é sempre bom lembrar que isso ainda não é um direito para todo mundo. Infelizmente.

Basta lembrar que, nos primeiros quatro meses deste ano, o Brasil teve um aumento de 20% nas agressões contra pessoas LGBT. Em 2016, foram 343 mortes nesse grupo – 144 das vítimas eram travestis e transexuais. Com um agravante: a homofobia ainda não é crime no Brasil e, com isso, a intolerância não é punida corretamente.

Veja cinco situações que parecem comuns, mas acabam sendo privilégios dos heterossexuais:

Andar de mãos dadas

Getty Images
Imagem: Getty Images

Esse simples ato romântico pode ser um problema sério para o público LGBT. Casado há 27 anos com o inglês David Harrad, o professor Toni Reis, 52, conta que adoraria sair de mãos dadas com o marido durante os passeios dos dois por Curitiba (PR), onde moram. Mas diz que o casal não pode.

"Simplesmente porque quero me poupar de tomar porrada na rua", explica ele, que também é Diretor-Presidente da Aliança Nacional LGBTI. "Eu sempre deixo claro que não queremos nenhuma prioridade, apenas ter o mesmo direito que todo mundo já tem."

Atos românticos em público

Getty Images
Imagem: Getty Images

Você está em um jantar romântico com o "mozão" e rola aquele clima para um beijo. E nem precisa ser ao "estilo cinema", não. Uma simples bitoquinha. Se o casal for homossexual e estiver em público, vai pensar duas vezes antes de demonstrar seu amor.

"Até em pizzaria já fui discriminado. Se estou tomando um vinho no restaurante e meu marido fala algo que acho inteligente e sexy, por exemplo, seguro a minha vontade de beijá-lo para não causar nenhum tipo de clima. Só que olho em volta e vejo vários casais heterossexuais fazendo exatamente isso", lembra Toni.

Batizar os próprios filhos

David Mdzinarishvili/Reuters
Imagem: David Mdzinarishvili/Reuters

Parece simples, não? Se os dois seguem aquela religião, é mais do que normal o casal que teve um filho procurar uma igreja para batizar a criança. Toni e o marido tiveram problemas em fazer isso com os três filhos adotivos: Alisson, 16, Jéssica, 14, e Felipe, 11.

"Quis muito conseguir fazer o batizado, pois sou bastante católico e não gostaria que as crianças morressem pagãs. Só que precisei pedir pelo amor de Deus ao Arcebispo de Curitiba para conseguir isso. Eu iria até o Papa, se fosse o caso", conta. A família, inclusive, vai aproveitar para conhecer Roma e o Vaticano, na Itália, em suas próximas férias.

Ir ao banheiro em paz

Divulgação/Edelman Significa
Imagem: Divulgação/Edelman Significa

Sabe quando você vai ao shopping comprar algum presente para o sobrinho e, já lá, dá vontade de ir ao banheiro? O ato de usar o sanitário pode ser um problema sério. O assistente social Pierre Freitas, 29, que também é Ativista de Direitos Humanos, diz que frequentar banheiros públicos é sempre muito constrangedor, pois os homens olham e fazem piadinhas.

"Uma vez, usei o mictório de um banheiro no shopping e alguns meninos já começaram a tirar com a minha cara. Quando saí, eles vieram atrás de mim e continuaram me xingando. Precisei chamar os seguranças e a até a Policia Militar. Por fim, a direção do shopping me atendeu chamou a atenção deles", conta.

Ser quem você realmente é

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Pierre conta que essa perseguição acontece desde a escola. Na época do ensino médio, tanto as piadas quanto os constrangimentos foram aumentando cada vez mais. "Como andava muito com meninas, os garotos me zuavam e xingavam de bichinha, viado, essas coisas", lembra.

Neste contexto de perseguição, um deles colocou o pé na frente, fazendo Pierre cair e quebrar o braço. "A diretora da escola puniu todos os envolvidos, inclusive a mim, porque acreditava que eu também era culpado por ser daquele 'jeito'".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Casamento
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
UOL Estilo
Topo