Comportamento

"Adoro me exibir na webcam! E isso salvou meu casamento"

Imagem: Arquivo Pessoal
Imagem: Imagem: Arquivo Pessoal

Helena Bertho

Do UOL, em São Paulo

23/06/2017 04h00

Angélica* e Paulo* são um casal comum. São donos de um pequeno negócio, têm dois filhos de 3 e 4 anos que criam com amor e uma vida simples. O que ninguém sabe é que, na internet, eles são conhecidos como Lia e Oiram, amantes que costumam exibiram em momentos íntimos na webcam. Não, eles não ganham dinheiro com isso. Fazem por prazer e aqui, explicam o porquê. 

"Minha vida no 'mundo real', por assim dizer, é básica. Trabalho com meu marido em nossa empresa de confecção de moda, cuido dos nossos filhos e da nossa casa. Sou uma esposa, mãe e dona de casa tradicional. Mas quando os pequenos vão para a escola, um outro lado de mim aflora, um lado que minha família nem imagina que existe. Visto uma lingerie sensual, ligo a webcam e passo horas sensualizando ao vivo na internet.

Tenho uma média de 200 seguidores, entre homens e mulheres, que adoram me assistir. E isso faz com que eu me sinta poderosíssima!

Se você perguntasse para mim há três anos o que achava disso, diria sem hesitar que é coisa de vadia, de vagabunda. Afinal, mulher decente e de família como eu jamais poderia concordar com um comportamento devasso desses... Mas hoje, penso bem diferente. E o Paulo, meu marido, também."

"Você quer uma vagabunda? Vai ver a vagabunda!"

"Tinha acabado de ter minha segunda filha e não andava bem. Estava 30 kg acima do meu peso, minha a autoestima estava acabada. Isso influenciava, principalmente, minha relação com meu marido, já que eu não me sentia interessante para ele.

Comecei a notar que, nessa mesma época, o Paulo ficava o tempo todo no computador. Estranhei e decidi fuçar o histórico dos sites que ele entrava para descobrir o que andava fazendo... E eis que encontrei uma rede social de sexo. Entrei e vi muitas fotos de gente sem roupa, mulheres sensualizando, perfis vários. Fiquei louca da vida!

Liguei para ele gritando, dizendo que estava buscando garota de programa, que não me respeitava e nem deixei que se explicasse. Não bastasse, peguei nossas filhas, botei no carro e fui para a empresa. Lá gritei mais um pouco e deixei as meninas com ele. 'Quer ver uma vagabunda? Você vai ver uma vagabunda!'

Voltei para casa, vesti uma lingerie que nunca tinha usado, sentei na frente no computador, acessei o site. Não tive coragem de ligar a webcam e comecei a chorar. O que estava acontecendo com a minha vida?"

"Na primeira vez, achei que só meu marido estava vendo"

"Enquanto eu chorava, meu marido me ligou e tentou me acalmar. O Paulo falou para que eu ligasse a câmera, que ele queria me ver. E eu fiz. Enxuguei as lágrimas e, imaginando meu homem do outro lado, comecei a tentar seduzi-lo, rebolando e perguntando se gostava disso ou daquilo.

Fui me soltando, comecei a dançar e a seduzi-lo. Como se estivéssemos sozinhos em nosso quarto. E ele gostou! Deixou as crianças com uma funcionária e veio voando para casa. Transamos aquele dia como não fazíamos há anos. Uma coisa maravilhosa!

Só depois que terminamos foi que Paulo me contou: eu tinha aberto a câmera para todos os usuários da rede social e não só para ele. Um monte de gente tinha visto minha performance! É claro, fiquei cheia de culpa e com medo de alguém conhecido ter visto.

Nos dias seguintes, Paulo me explicou como funcionava a coisa toda. E que, na internet, havia mulheres como eu. Me mostrou os comentários do meu vídeo: muitos elogios, homens me chamando de gostosa... Nossa! Eu até dei um sorriso naquele momento. Foi uma emoção muito boa. Me envaideci.

Depois disso, com a autoestima lá em cima, fiquei mexida. Percebi que tinha gostado e a vontade de fazer de novo começou a crescer. Então dali uns dias, quando fiquei sozinha em casa cedi à vontade e fiz uma segunda live. Pronto, minha vida nunca mais seria como antes."

"Mostro tudo, menos o rosto"

"Fazer as exibições online virou uma paixão. Fico me sentindo poderosa e sexy! Saber que há pessoas me olhando, ficando excitadas comigo e até se masturbando para mim faz com que me sinta o máximo e também me excita demais.

Preservo minha identidade, então uso máscaras para ninguém nunca ver meu rosto. De lingerie me insinuo, rebolo e converso com os seguidores que comentam o vídeo. Com voz sexy pergunto o que querem, se estão gostando, se querem mais. E às vezes até fico com tesão e me masturbo ali mesmo na câmera. Às vezes, o Paulo faz participações especiais nos meus vídeos.

Desde então, não consigo mais passar numa loja de lingerie e não comprar nada. Adoro me produzir para os meus seguidores."

"Meu casamento melhorou 100%"

"Meus showzinhos na internet provocaram uma reviravolta no casamento. Primeiro na minha autoestima. Se antes estava me achando feia, apagada, hoje estou me sentindo incrível. Aprendi a me valorizar e encontrei minha sensualidade. Sigo com aqueles 30 kg a mais e não penso em fazer dieta, pois me sinto ótima assim.

Entendi que ser sensual não tem nada a ver com magreza. E nunca me achei vulgar. E a minha pegada é a primeira: sou uma mulher sensual. Então sempre que vou me vestir, olho no espelho e penso: 'essa roupa é discreta, mas sensual o suficiente?'.

O Paulo mudou demais, ele está adorando essa mulher que me tornei. Sente um pouco de ciúmes às vezes, mas o que mais tem é orgulho de mim. Saber que aquele monte de gente me olha e me deseja, mas só ele pode me tocar, é algo que o deixa louco.

Nosso casamento melhorou 100% desde então e o sexo, nem se fala..."

"Meus seguidores são fieis"

"O perfil com o qual me exibo é de nós dois e, ao longo desses três anos, criei uma rede de seguidores. Todo mundo sabe que sou casada. Mas ele fica sem graça quando participa dos meus vídeos, faz piadas e raramente consegue deixar a coisa sensual. Então a gente evita.

Alguns dos meus fãs são tão fiéis que se tornaram amigos virtuais e uns poucos amigos da vida real, que vêm para churrascos ou com quem saímos para jantar. Têm dias que faço transmissões só para bater papo com eles, sem nem sensualizar!

Também aprendi muito com meus fãs. Peguei o jeito certo de mostrar o corpo, entendi que uma música de fundo faz toda a diferença para criar um clima e percebi que eles reparam em tudo: se repito uma lingerie, alguém comenta. Ou seja, meu guarda-roupa de calcinhas hoje é enorme. Até do batom comentam!

Lá no primeiro ano, uma vez eu disse que estava com vergonha de mostrar minha barriga e várias pessoas comentaram que eu era linda exatamente como sou. Nesse dia contei que estava ali para que eles me elogiassem e, desde então, isso tem sido a regra.

Uma vez ou outra, já recebi ofensas, mas nem dou bola. É questão de minutos até meus seguidores contra-atacarem o hater e denunciarem seu perfil.

De maneira geral, o que mais recebo são elogios e estímulos, de homens e mulheres. E eu amo isso!" 

 

* Os nomes foram preservados a pedido dos entrevistados. 

 

Você também tem uma história interessante? Conte para nós! Envie para sua-historia-estilo@bol.com.br

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Comportamento
UOL Estilo
UOL Estilo
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
UOL Estilo
Blog da Morango
UOL Estilo
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
AFP
Blog da Morango
Redação
Comportamento
Redação
Redação
Comportamento
Erratas
Redação
Blog da Morango
do UOL
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
Topo