Vida no trabalho

Masturbação no trabalho? Saiba o que pode causar a sua demissão

Getty Images
Imagem: Getty Images

Denise de Almeida

Do UOL

05/07/2017 18h17

Na última semana, um caso polêmico de demissão aconteceu no Sport Clube Gaúcho, time da terceira divisão do Rio Grande do Sul. Três atletas realizaram uma masturbação coletiva dentro do vestiário -- e um quarto jogador filmou toda a ação. Os quatro acabaram perdendo o emprego.

O presidente do clube disse que atletas e diretoria entraram em acordo, mas, segundo a headhunter e coach Luciana Tegon, a atitude poderia causar uma demissão por justa causa, por comportamento impróprio no ambiente de trabalho.

"Não é apenas o ato em si. Seria diferente se tivesse acontecido fora dali. Mas, a partir do momento que eles mostram que estão fazendo nas dependências do clube, você está imediatamente atrelando a imagem do time ao ato", explica Luciana.

Happy hour no escritório

A headhunter ressalta que, por mais informal que seja, o local de trabalho não deixa de ser um ambiente corporativo, que exige posturas e comportamentos adequados. "Precisa tomar muito cuidado: o excesso de liberdade não é um ensejo para você agir de forma imprópria".

Luciana conta o caso de uma empresa que descobriu que os funcionários faziam happy hour dentro do escritório. "Isso é uma coisa inadequada. Por mais que seja fim do expediente, não é o local onde você deve fazer isso. Acabaram rolando coisas ali que foram captadas pela câmera e que são inconvenientes. Você acaba se expondo, por esquecer que está no seu trabalho".

Cadê minha marmita?

Segundo Luciana, são comuns situações de conflito envolvendo a geladeira da empresa, com o furto de marmitas ou lanches entre funcionários, o que também pode causar demissão. Para inibir esse tipo de delito, muitas companhias têm recorrido ao uso de câmeras dentro da cozinha do escritório.

"As empresas acabam tendo que ser mais rígidas. Parece que as pessoas perderam a noção do que é aceitável dentro de um ambiente de trabalho"

Uso inadequado dos computadores e redes

Aquela conversinha maldosa sobre o chefe pelo Skype ou confessar ao colega algum delito usando os equipamentos ou as redes da empresa também podem custar o seu ganha-pão.

"As pessoas esquecem que as redes corporativas são monitoradas e certos tipos de mensagens podem render até justa causa. Conheço um caso de funcionários que revelaram pelo Skype que tinham feito sexo no sofá da diretoria da empresa. Isso é descoberto e os envolvidos são demitidos".

Vale lembrar que a mesma regra vale para o acesso a sites de conteúdo pornográfico. Acredite: seu trabalho não é o lugar ideal para isso.

Discriminação e brincadeiras maldosas

Respeito e bom senso não fazem mal a ninguém. Aliás, são os requisitos mínimos esperados em um ambiente saudável de trabalho. Mas Luciana conta serem comuns situações de desrespeito a colegas e que, cada vez mais, as empresas estão preocupadas em evitar que isso se torne um problema maior.

"Ninguém precisa nutrir empatia, adorar os colegas de trabalho. Mas as empresas estão olhando muito atentamente situações de discriminação, como comportamento homofóbico, por exemplo. Por mais que sejam feitos comentários em tom de brincadeira, isso afeta pessoas. Esses comportamentos sectários hoje não são mais tolerados".

Procurar emprego... no emprego!

Se você está buscando recolocação profissional, jamais faça isso dentro das dependências da empresa.

Acessar sites de emprego e se candidatar a oportunidades em outras companhias usando o computador do trabalho vai certamente pegar muito mal para você. "Já soube de gente que fez entrevista de emprego na própria mesa de trabalho. Não pode", opina Luciana.

Levar objetos de trabalho para casa

Nada de levar bloquinhos de anotação, clipes e outros objetos da empresa para sua casa. Isso é furto e pode causar sua demissão. "Não importa se é uma caneta ou uma BMW: é um furto. Você está subtraindo uma coisa que não é sua", explica a coach.

Namorar pode?

Luciana esclarece que algumas companhias têm restrições quanto a envolvimento amoroso entre funcionários, mas que a maioria já permite a situação, desde que os dois não trabalhem na mesma equipe e que não exista uma relação de subordinação. Chefe e empregado, geralmente, não pode.

É preciso se atentar ao comportamento de ambos no ambiente de trabalho: nada de contato físico ou brincadeiras que exponham os dois. No entanto, horário de almoço o beijo está liberado, diz Luciana. "Se você está fora das dependências da empresa, a companhia não tem controle sobre o que você está fazendo, você faz o que você quiser".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
do UOL
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Plano de Carreira - Daniela Lago
Escolha Sua Vida
Redação
Redação
BBC
Redação
Escolha Sua Vida
Comportamento
Redação
Redação
Redação
BBC
Comportamento
Glamurama
Comportamento
Comportamento
Plano de Carreira - Daniela Lago
Webmasters
Folha de S. Paulo
Topo