Comportamento

"Piranha para mim não é xingamento, é quase um elogio", diz Cleo Pires

Divulgação
Cleo Pires critica machismo Imagem: Divulgação

Do UOL

31/07/2017 16h19

Cleo Pires é o tipo de pessoa que costuma falar com seriedade e naturalidade sobre sexo. Em entrevista para a revista “Glamour” de agosto, a atriz disse não se incomodar com o assunto, mas revelou ficar chateada com a descontextualização dos temas abordados por ela na mídia.

“Se você fala sério sobre sexo, reclamam que é chato. Se você fala com humor e honestidade sobre o assunto, te chamam de piranha. Quer saber? Piranha para mim não é xingamento, é quase um elogio”, declarou a filha de Glória Pires.

Durante entrevista para o programa “Eu Já” do amigo Caio Fisher, a atriz contou que já havia feito ménage à trois, mas nunca ficado com uma pessoa do mesmo sexo. Automaticamente as redes sociais ficaram polvorosas com o assunto e começaram a repercutir a declaração de Cleo.

"Nossa, mas se ela não ficou com mulher e fez ménage, então, transou com dois homens. Sim, dá para transar com dois homens, ué. Aquilo tinha um contexto, era uma resposta a uma pergunta. Me dá uma preguiça imensa perceber que sexo, a essa altura do campeonato, ainda gera essa comoção”, desabafou.

Questionada sobre quando seu nome vira trending topic, Cleo confessou que tem vontade de “tomar uma pílula para dormir e só acordar quando a polêmica for outra”. “O que mais me deixa irada é que concluo que isso só acontece porque vivemos numa sociedade desigual. Se um homem quiser falar dessas coisas [sexo], ele pode. Mas, se for mulher, é piranha. E isso é machismo".

A atriz sabe que sexo gera interesse e contou que dependendo da pessoa, até mesmo ela também tem curiosidade sobre o tema. “Dependendo de quem, também me interesso pela vida sexual dos outros. Mas não mais do que pela nossa situação política atual”, declarou à publicação.

Cleo também assumiu feminista e que é preciso ser radical ao defender a classe feminina. “O não é não, não existe mais meio-termo. O caso da figurinista da Globo que sofreu assédio do Zé Mayer é representativo. Formou-se um grupo de mulheres dentro da própria emissora para dar apoio a ela. Aquela situação não era minha, mas me tocou. Por sororidade, aderi ao movimento”, declarou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Astrologia S/A
do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
BBC
BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo