Comportamento

Ela tem 75 anos e acaba de tirar a primeira habilitação para dirigir

Arquivo pessoal
Agostinha Vidal tirou a habilitação para dirigir aos 75 anos Imagem: Arquivo pessoal

Marina Oliveira

Colaboração para o UOL

15/08/2017 04h00

A dona de casa Agostinha Vidal dos Santos, que completa 76 anos no dia 28 de agosto, tirou recentemente sua permissão para dirigir, um sonho que tinha desde jovem. Quando a reportagem do UOL conversou com ela, Agostinha havia acabado de receber a ligação da autoescola, avisando que o documento estava pronto. Abaixo, ela narra a própria história.

“Desde que eu me entendo por mulher, eu tenho vontade de aprender a dirigir. Até os meus 20 e poucos anos eu tentei dominar o volante. Meu marido tinha um fusquinha e se ofereceu para me ensinar, mas ele não tinha paciência. Uma vez, estávamos em uma estrada e ele gritou comigo enquanto eu dirigia, porque o carro não estava reto na pista. Eu encostei, desci e bati a porta. Disse que nunca mais aprenderia com ele.

Cumpri a palavra e nem sequer coloquei a chave de um carro no contato por décadas. Mas, em 2001, o meu marido morreu, e eu percebi que o meu orgulho tinha me prejudicado. Sem ele, eu precisava toda hora pedir aos meus filhos para me levarem aos lugares, especialmente ao mercado. Eu já não considerava a ideia de aprender a dirigir, por medo de não passar nos exames médico e psicológico, que são a primeira etapa do processo. Até que, este ano, a minha neta, a Lohaine, foi tirar a carta de motorista dela e me deu vontade de fazer o mesmo.

Arquivo pessoal
Agostinha e a neta, Lohaine: apoio da família ajudou na decisão de aprender a dirigir Imagem: Arquivo pessoal

Tive dúvidas, mas ela me convenceu que aquilo era o que eu precisava para provar a mim mesma que era capaz. Já nas aulas teóricas, os outros alunos e o professor me apoiaram muito. Mas no dia de fazer o exame teórico no Detran [Departamento Estadual de Trânsito], eu me apavorei. Cheguei lá e a prova era feita em computadores, e eu não sabia mexer. Levantei o braço e falei para a monitora que estava desistindo da prova. Mas ela teve paciência e me mostrou o passo a passo, onde eu tinha que clicar até chegar ao teste. Fui em frente e fiz. Acabei a prova muito rápido, porque eu tinha estudado em casa. Peguei meu resultado na hora e eu estava aprovada. Mais uma fase concluída!

Então, comecei a fazer as aulas práticas. Primeiro no simulador e depois no carro. No começo, foi difícil aprender a pisar na embreagem e trocar a marcha, mas eu peguei o jeito na terceira aula. Fiz todas as aulas necessárias e marquei a prova prática. Só que, na semana, eu fiquei com medo. Falei para a autoescola que queria desmarcar, porque não estava segura. Aí eles me deram, sem cobrar, mais uma aula. Eu estava confiante, porém, no fim da aula, fiz a baliza e derrubei os cones. Desanimei de novo. Aí o instrutor me disse que me daria uma última aula no dia seguinte, que eu deveria encontrá-lo às 6h30.

Eu fui. Mas achei muito esquisito, porque cheguei no ponto de encontro e vi um monte de carros de autoescola, várias pessoas na rua. Percebendo a minha cara de espanto, ele olhou e disse: ‘Se eu contasse que o exame era hoje, a senhora ficaria nervosa de novo. E eu quero que dirija como se estivesse nas nossas aulas’. Ele tinha razão. Já estava lá, né? Fui em frente.

Logo que eu acabei o teste, o instrutor do Detran olhou para mim e disse: ‘A senhora vai ter que treinar muito ainda’. Eu respondi que sabia disso, mas que, mesmo se não fosse aprovada, já estaria de parabéns. Porque até pouco tempo eu sequer colocava a chave no contato. E eu me orgulhava de ter enfrentado a realidade e aprendido alguma coisa.

Ele só sorriu. Soube um pouco depois que havia sido aprovada. Foi uma alegria! Liguei para minha neta, minha filha e meu filho, nessa ordem. Meus filhos ficaram muito surpresos, porque nem sabiam que eu estava fazendo aulas. Me encheram de perguntas, é claro. Mas acho que agora acreditam que eu consigo.

Hoje, o plano é tentar comprar um carro com direção hidráulica, porque o que o meu marido deixou é muito duro e eu tenho dores no ombro. Tirar a carteira de motorista foi mais um desafio que eu enfrentei na minha vida. Logo, eu vou encarar outro, para começar a usar o computador. Pretendo entrar em uma escola de informática. Eu acho que temos de tentar algo novo sempre, mesmo com medo.”

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Astrologia S/A
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
BBC
BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Blog do Fred Mattos
Blog da Morango
Opiniões Estilo
do UOL
Redação
Redação
Redação
Topo