Sexo

5 coisas para pensar na hora H e deixar o sexo mais quente

Getty Images
Imagem: Getty Images

Heloisa Noronha

Colaboração para o UOL

21/08/2017 04h00

O sexo começa no cérebro, dizem os especialistas. É verdade, principalmente quando as pessoas se permitem imaginar coisas malucas que, na vida real, nem sempre têm coragem ou oportunidade de experimentar. Confira alguns depoimentos sobre coisas que passam pela cabeça na hora H e que podem apimentar a transa.

Crushes

Pode ser o chefe, a moça geek do busão, o amigo do marido, a Anitta (com ou sem o Pablo Vittar) ou até a voz da Siri, o aplicativo de assistência pessoal da Apple. Dar asas à imaginação e imaginar alguém diferente na cama com você pode levar a se soltar mais, a agir de uma maneira mais selvagem e quente do que a habitual. O operador de telemarketing Bruno*, de 19 anos, não abre mão do estilo de vida geek nem na hora de fantasiar na cama. "Já vivi altas aventuras com a Gamora e a Mulher Maravilha esse ano", confessa, rindo. A dançarina Milly*, 22 anos, gosta de imaginar que está em um cenário luxuoso, como a bordo de um iate, em alto-mar, ou na suíte presidencial de um hotel maravilhoso em Dubai. "Sempre ao lado do Neymar, claro!", admite.

Passado

Recordar uma transa fenomenal que aconteceu anos atrás também pode funcionar como um gatilho para intensificar as sensações no sexo. Não, não é traição; nem necessariamente significa que você ainda se liga na pessoa do passado. O mais provável é que o sexo foi tão intenso, marcante e diferente que reviver a lembrança na mente já é suficiente para experimentar de novo tudo aquilo.

Orgias

Imaginar mais uma, duas, dez ou cinquenta pessoas na cama com vocês pode ser altamente excitante. Para dar a impressão de que a fantasia é real, a corretora de seguros Vanda*, de 31 anos, lança mão de apetrechos eróticos. "Ao me penetrar por trás, meu marido usa um vibrador no meu clitóris. Antes, prende um aparelho nos meus mamilos que dão uns choquinhos. Ao receber estímulos de todos os lados, tenho a impressão de que há mais gente me tocando", diz.

Fetiches

Brincadeiras em que as pessoas encarnam papéis diferentes e não só pensam, mas agem como se fossem personagens, também podem elevar o sexo à potência máxima. "Jogos sexuais deixam a prática mais lúdica e mais leve. Assim sendo, o sexo fica mais gostoso", afirma Carla Zeglio, diretora e psicoterapeuta sexual do Inpasex (Instituto Paulista de Sexualidade). O gerente de vendas Marcelo*, 35 anos, volta e meia finge com a mulher que são uma dupla diferente: "Usamos roupas específicas, mas nos imaginar nas situações é o que deixa o clima acontecer", fala.

Dominação

S. S.*, secretária de 39 anos, tem fantasia de que um homem a domine (mas só na imaginação): "Eu curto fingir que sou dominada, de me sentir à mercê das vontades de um homem. É tudo de mentirinha, claro, mas para mim funciona como um aditivo."

thinkstock
*Nomes trocados ou abreviados a pedido dos entrevistados

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
do UOL
Redação
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Mayumi Sato
do UOL
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
do UOL
do UOL
Redação
UOL Notícias
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
do UOL
Topo