Vida no trabalho

Coisas que nenhuma mulher deveria abrir mão para mostrar competência

Getty Images
mulher trabalho Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração com o UOL

13/10/2017 04h00

Num mundo em que a diferença salarial entre homens e mulheres com a mesma função ainda são gritantes, entre outras desigualdades de gênero, não é difícil encontram quem tente abdicar de certas coisas no trabalho - como vida pessoal ou vaidade - para conquistar confiança e transmitir uma imagem mais eficiente. Esse tipo de atitude, porém, só contribui para que o empoderamento feminino seja sufocado e a sociedade continue a reforça preconceitos. Toda mulher tem direito a:


Demonstrar gentileza

Com medo de parecerem fracas ou vulneráveis, algumas mulheres tentam sufocar a tendência natural de propor ajuda quando percebem que algum colega está em apuros. Nenhuma mulher - aliás, nenhuma pessoa - deveria reprimir a gentileza, e sim potencializá-la. Atitudes de generosidade e empatia elevam o bem-estar, tiram a atenção dos problemas pessoais e com isso aumentam o senso de autoconfiança e otimismo em nossa vida - o que repercute diretamente no desempenho profissional.

Ser assertiva

Isso vale, principalmente, nas situações em que é preciso se impor, exercer a liderança e barganhar algo. Estudos apontam que quando as mulheres negociam uma promoção ou aumento salarial são mais propensas do que os homens, que agem da mesma forma, a serem taxadas de agressivas, intimidadoras e até mandonas. Por outro lado, quando se opõem a algo ou alguém, são consideradas emotivas. No fim das contas, muitas passam a adotar uma postura passiva para evitar esses rótulos, pensando que assim serão percebidas como mais maduras e competentes. É possível escapar dessa armadilha falando e pedindo o que deseja de maneira assertiva, com argumentos claros e convincentes.

Defender valores pessoais

Os valores são nossos princípios na vida, representam o que somos e, portanto, nossas metas e ações precisam estar alinhadas com eles. Quando abrimos mão de nossos valores pessoais em prol de alcançar postos mais altos na carreira a conexão com o propósito de vida é prejudicada. Há o risco de experimentar uma sensação de vazio, insatisfação constante e de se colocar à mercê de quem quer impressionar ou agradar.

Vida fora da empresa

Fazer horas extras em excesso, abrir mão das férias e constantemente levar trabalho para terminar em casa no fim de semana são estratégias furadas para provar o valor profissional. Essas táticas nem sempre dão certo porque podem ser interpretadas como desorganização, lerdeza, inabilidade para lidar com o tempo e falta de foco. Nenhuma mulher precisa fazer de conta de que coloca a vida profissional em primeiro plano para provar sua competência. A chave está em equilibrar as demandas e vontades de todas as áreas e entender que se divertir e se desligar do trabalho nos momentos de descanso é fundamental para garantir a energia necessária para um carreira promissora.

Vaidade

Cuidar de si mesma não é sinal de futilidade ou frescura, e sim de amor próprio e autoestima em dia. Bancar a invisível ou a relaxada não ajuda em nada a mudar a percepção das pessoas - quem costuma julgar os outros pela aparência sempre fará isso, de um modo ou de outro. Ninguém deveria abrir mão da própria essência e autenticidade para agradar os outros e mostrar que trabalha de acordo com o que esperam. Sem contar que acreditar que o visual de uma mulher deve indicar seu nível de competência é um conceito machista e ultrapassado.

Se posicionar de igual para igual em ambientes predominantemente masculinos 

A forma de falar, de se colocar e de se comportar compõem a construção da imagem profissional de qualquer pessoa. Toda mulher deve se manter firme e segura mesmo em locais com maior incidência de homens, sem se vitimizar ou fazer a linha frágil para conseguir ser ouvida. Isso não significa se masculinizar, mas sim deixar as questões de gênero fora do escritório e ser tratada como uma pessoa.

Intuição

Biologicamente e culturalmente, as mulheres foram condicionadas a exercitar mais a própria intuição (sim, porque os homens também a têm) e a fazer uma boa leitura dos sentimentos alheios. Essa é uma ferramenta que não deve ser menosprezada, pois pode ter o papel de diferencial em qualquer carreira. A sabedoria consiste em transcrevê-la em um discurso racional e compreensível aos colegas e chefes.

FONTES: Flávia Tavernari, coach especialista em grandes mudanças e fundadora da empresa O Sabático, do Rio de Janeiro (RJ); Gláucia Mc Kinney, coach de carreiras especializada em aumento de performance e pós-graduanda em Gestão Empresarial pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), de São Paulo (SP); Lilian Bertin, empresária, palestrante de carreira, especialista em programação neurolinguística e líder do movimento "Como Você Consegue", de Sorocaba (SP); Marcela Rangel, especialista em inteligência emocional e psicologia positiva, do Rio de Janeiro (RJ); Renata Abreu, coach e autora do livro "Felicidade feminina - Uma escolha possível com práticas da psicologia positiva" (Ed. Leader), do Rio de Janeiro (RJ), e Rosana Daniele Marques, gerente de gestão de pessoas da empresa
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
Comportamento
BBC
Redação
BBC
BBC
do UOL
Redação
UOL Estilo
Redação
Redação
Redação
Folha de S.Paulo
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
Redação
UOL Estilo
do UOL
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo