Sexo

Testamos alternativas ao absorvente (inclusive na hora do sexo!)

Amanda Perobelli/ UOL
alternativas ao absorvente Imagem: Amanda Perobelli/ UOL

Helena Bertho

do UOL

01/11/2017 04h00

Para a maioria das mulheres, absorventes – internos e externos – sempre foram a única forma de lidar com a menstruação. Até que o coletor menstrual começou a ganhar espaço e, neste ano, chegaram ao Brasil as calcinhas absorventes

Oras, mas para quê alguém precisaria de uma alternativa aos absorventes? Os motivos podem ser muitos. Desde consciência ecológica até alergia. Eu, por exemplo, tenho irritação de pele ao usar absorventes externos e sempre achei os internos desconfortáveis. Além disso, alguns deles permitem até que você tenha relações sexuais (sem algum tipo de 'vazamento' indesejado).

Veja também

Por isso, quando soube do coletor menstrual, há dois anos, não hesitei em testar. Virei fã e adepta do copinho. E agora, com a chegada da lingerie menstrual, decidi usar também e descobrir quais outras alternativas existem por aí. Para minha surpresa, existe até que bastante opção além dos tradicionais absorventes descartáveis: esponja, copinho descartável e absorvente de pano. Abaixo, conto o que achei de cada um.

Amanda Perobelli/ UOL
Imagem: Amanda Perobelli/ UOL
Calcinha menstrual

O que é: a boa e velha lingerie ganhou uma nova tecnologia, feita por camadas de tecido que fazem com que ela absorva o fluxo menstrual. Da marca Pantys, está disponível em quatro modelos (clássica, hot pant, biquíni e tanga).

Como usar: basta vestir

Quanto tempo entre trocas: o dia todo, quando o fluxo estiver leve e de cinco a oito horas, para o fluxo intenso.

Como foi usar: a primeira observação é que ela é bonita. Usei a hot pant, linda e sexy. Os elásticos me apertaram um pouco na virilha, apesar de servir bem na barriga. Mas, exatamente por isso, em nenhum momento tive a impressão de que vazaria. Usei por oito horas, em um dia de fluxo intenso e aguentou bem. No entanto, apesar de prometer ficar sequinha, senti umidade o dia todo.

Como lava: a orientação é colocar na máquina, dentro do saquinho em que vem, junto com outras roupas. Fiz isso, mas ficou suja e precisei lavar novamente à mão.

Vantagens: é bonita, aguenta várias horas e pode ser usada diversas vezes. Também não deixa o cheiro forte de sangue, típico dos absorventes.

Desvantagens: durante o uso, o único incômodo foi a sensação de umidade e o elástico (algo que imagino que tenha a ver com o tamanho também). Além disso, não é muito prática no dia a dia: você precisa ter várias e, se passa muitas horas fora, precisa tirar e deixar a peça suja na bolsa -- um tanto nojento.

Preço: de R$ 75 a R$ 95

Amanda Perobelli/ UOL
Imagem: Amanda Perobelli/ UOL
Absorvente de pano

O que é: os lenços usados por nossas avós ganharam nova cara e ficara mais eficientes também. Existem várias fabricantes do produto, eu testei o da marca Korui, que é de algodão orgânico, revestido por uma camada impermeável para não sujar a calcinha. Ele tem o formato de um absorvente, com botões para prender embaixo da calcinha.

Como usar: basta prender na calcinha

Quanto tempo entre trocas:  a marca não divulga, diz que varia de acordo com o fluxo

Como foi usar: confesso que minha expectativa era bem baixa, parecia que ia esquentar e durar pouco, mas me surpreendi. O absorvente ficou muito confortável e sequinho o dia todo, mesmo com fluxo intenso. Fiquei oito horas com o grande e seis com o médio, nenhum deles vazou ou me incomodou. O cheiro não ficou forte, mas um pouco mais intenso que o da calcinha.

Como lava: deixei eles de molho por algumas horas e depois esfreguei à mão, não é a coisa mais prática, mas também não foi um grande esforço.

Vantagens: é muito confortável e fica sequinho. Aguentou muitas horas e é reutilizável.  Está disponível em diferentes tamanhos e o tecido impermeável tem várias estampas fofas!

Desvantagens: assim como a calcinha, precisa ter vários e, quando tira, tem que guardar o absorvente usado na bolsa para depois lavar.

Preço: entre R$ 20,50 e R$ 24,50

Amanda Perobelli/ UOL
Imagem: Amanda Perobelli/ UOL
Esponja 

O que é: Soft Tampons são os absorventes internos da marca INTT feitos de um material esponjoso. A marca não divulga qual é exatamente o material, mas diz que é livre de produtos químicos e não causa irritações. Por ser maleável, ele pode ser usado durante o sexo – essa é sua grande vantagem.

Como usar: inserida na vagina, como um O.B. 

Quanto tempo entre trocas: até oito horas

Como foi usar: a marca orienta usar lubrificante para colocar a esponja, mas eu esqueci no dia e coloquei "a seco" sem nenhuma dificuldade. Ele é bem confortável e nem senti dentro de mim, incomoda menos que os tradicionais. Usei no dia de fluxo mais intenso e, depois de umas quatro horas começou a vazar um pouquinho. Já durante o sexo, é confortável e imperceptível – tanto por mim, quanto por meu parceiro --, mas atrapalhas a lubrificação natural. Segurou bem o fluxo e só sujou um pouco a camisinha. Não tem a cordinha para puxar, mas enfiando o dedo é bem simples de retirar.

Vantagens: é confortável, pode ser usado durante o sexo e para nadar.

Desvantagens: é descartável, então gera resíduo, e não aguentou muitas horas de fluxo. Atrapalha a lubrificação.

Preço: R$ 13,80 o pacote com três

Amanda Perobelli/ UOL
Imagem: Amanda Perobelli/ UOL
Coletor descartável

O que é: uma versão descartável do copinho. Tem um anel maleável de plástico com uma espécie de "saquinho", também de plástico, para armazenar o sangue. Ele deve ser posicionado acima do canal vaginal e pode ser usado durante o sexo.

Como usar: inserido na vagina

Quanto tempo entre trocas:  até 12 horas

Como foi usar: estou acostumada com o coletor de silicone, então achei o material desse bem mais duro e grande, difícil de colocar. Ele não se posiciona bem no canal vaginal, ficando meio de lado lá no fundo. Mesmo assim, ele não me causou desconfortou e segurou bem o fluxo, com uns leves escapes ao longo do dia. Usei por dez horas, sem problemas. Só na hora de tirar que achei bem ruim. É preciso enfiar o dedo bem lá no fundo e, como é bem mole, o coletor se mexe muito na retirada, fazendo uma bela sujeira de sangue. Já durante o sexo, não sujou a camisinha e meu parceiro não o notou, mas eu senti um incômodo, como se o pênis pressionasse o anel contra meu colo do útero.

Vantagens: aguenta muitas horas e pode ser usado durante o sexo e na água.

Desvantagens: não se posiciona muito bem, causa pequenos vazamentos e é difícil de tirar. Além disso, não fica totalmente imperceptível durante o sexo. E é descartável, ou seja, gera lixo.

Preço:  R$ 27,50 a caixa com quatro

Divulgação
Imagem: Divulgação
Copinho (Coletor menstrual de silicone)

O que é: o famoso copinho é feito de silicone e deve ser inserido no canal vaginal. Ele armazena o sangue, que depois deve ser despejado. Deve ser lavado antes de recolocar e fervido no início e no fim de cada ciclo.

Como usar: inserido na vagina

Quanto tempo entre trocas: você não troca, mas sim esvazia o copinho em até 12 horas.

Como foi usar: sou suspeita para falar, pois uso há dois anos e adoro. A adaptação no primeiro mês foi difícil, até aprender a colocar, vazava. Mas depois é uma maravilha: pode ficar até 12 horas lá dentro e é muito confortável, então eu esqueço que estou usando e só preciso esvaziar duas vezes por dia. A parte mais chata é fervê-lo todo começo e fim de ciclo, e também esvaziar em banheiros que não têm pia na cabine. E ele precisa ser tirado para o sexo com penetração, mas é ótimo para todo outro tipo de relação, inclusive sexo oral

Vantagens: é reutilizável, então comprei um e nunca mais gastei com absorvente, nem gerei poluição. Me colocou em contato com meu fluxo, permitindo entender o volume de sangue em cada dia. Além de me ajudar a manipular mais minha vagina, o que fez entender melhor sua anatomia. Mas a maior vantagem mesmo é que ele é muito confortável e aguenta mesmo as doze horas, então me ajuda a esquecer que estou menstruada na maior parte do dia e é muito prático em viagens.

Desvantagens: é preciso ter um tempo e estrutura para ferver o copinho antes de começar o uso no mês. Além disso, é difícil esvaziar em banheiros públicos sem pia na cabine.

Preço: entre R$ 35 e R$ 90
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
do UOL
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Mayumi Sato
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Mayumi Sato
Redação
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
do UOL
Redação
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo