Comportamento

7 razões para mostrar 'Big Mouth', da Netflix, ao seu filho pré-adolescente

Divulgação Big Mouth
Jessi, uma das personagens de Big Mouth Imagem: Divulgação Big Mouth

Do UOL, em São Paulo

06/11/2017 04h00

A puberdade é um período confuso. É normal se sentir inadequado e sofrer, mas ainda se divertir com tanta novidade e mudança no corpo. Costuma ser comum também colecionar histórias engraçadas dessa fase. Os humoristas norte-americanos Nick Kroll e Andrew Goldberg decidiram expor as suas em uma animação para a Nettlix e deram a ela o nome de "Big Mouth".

A série, que estreou no final de setembro, mostra em dez episódios o quão desconfortável, constrangedora e hilária pode ser a vida de alguém na pré-adolescência. A primeira menstruação, os desejos à flor da pele, acne, o primeiro amor, o corpo mandando sinais que não mandava antes, medos, a descoberta da masturbação. E, justamente por ser honesta e falar diretamente com o público que almeja, que "Big Mouth" tem ganhado elogios (recebeu 100% de votos positivos no site de crítica Rotten Tomatoes) e até continuação - a segunda temporada já foi anunciada. 

Aqui, listamos sete motivos para você apresentar a série para seu filho que está vivendo a puberdade. No mínimo, vocês vão dar algumas risadas e ter assunto para conversar. E se ele ou ela não quiser ver com você, vale para relembrar os momentos dessa fase.

1. Gay, eu?

A homossexualidade é um dos assuntos que "Big Mouth" trata. Aqui, vai um spoiler: Nick, um dos protagonistas, se questiona sobre gostar de meninos e acaba vivendo um dia de exploração de sua identidade sexual. Ponto positivo: ser ou não ser gay não é algo tratado como um problema pelo garoto, nem para os pais dele. Aliás, existe um outro personagem gay e muito bem resolvido na trama. 

Big Mouth - gay
Imagem: Giphy

2. Os monstros dos hormônios 

Há duas figuras fantásticas importantíssimas em "Big Mouth", um casal de monstros chamados carinhosamente de "monstros dos hormônios". Maurice, a criatura de Nick, é obcecada por sexo e desperta no garoto vontades incontroláveis. Por exemplo: a de se masturbar em horários impróprios e assistir pornografia. Por que os monstros fazem sentido? Porque são metáforas divertidas das loucuras que passam na cabeça de alguém que está começando a conhecer a própria sexualidade. 

Big Mouth - monstros
Imagem: Giphy

Leia também

3. Fale com ela

Um outro pequeno spoiler: em um dos episódios, Jessi, uma garota em plena puberdade, é incentivada por sua monstra dos hormônios a olhar - literalmente - para a sua vagina. Então, Jessi pega um espelho de mão e mira lá, começando uma conversa franca com o seu genital que ganha voz e explica direitinho como tudo funciona por ali. A cena é uma verdadeira aula de anatomia para garotas. Vale cada segundo.

Big Mouth - fale com ela
Imagem: Giphy

4. A bendita menarca

Que mulher não se lembra de sua primeira menstruação? A de Jessi acontece em uma visita escolar à estátua da Liberdade em um dia em que ela usava um short branco, que tinha acabado de ganhar da mãe. Apesar de constrangedora, a situação ensina muita a Jessi, que volta da visita e tem uma conversa honesta com a mãe sobre o fato de, a partir de então, ter que sangrar todo mês.  

Big Mouth - menarca
Imagem: Giphy

5. Também fala de amor

"Big Mouth" fala de sexo, masturbação, vagina e pornografia (de leve e de um jeito engraçado), mas também trata do amor. Do primeiro romance, das primeiras investidas amorosas e especialmente de amor entre amigos. A amizade entre os três principais pré-adolescentes da série é forte, passa por perrengues e é cheia de momentos fofos. 

Big Mouth - amor
Imagem: Giphy

6. Sexualidade é algo natural, falar dela também

A maneira tranquila e natural com que a sexualidade é tratada na série permeia todos os episódios. Mesmo entre os personagens pré-adolescentes, o assunto é encarado com leveza (apesar dos perrengues). Com os pais deles, também. Claro que há os momentos constrangedores - afinal, falar de sexo com filhos pode ser uma questão -, mas eles são superados com humor e carinho. No mais, só o fato de mostrar cenas cotidianas de garotos descobrindo sua sexualidade já é um começo para começar a tratar temas tabus. Ou seja, pode ajudar você a começar aquelas conversas tensas de maneira mais solta. 

Bigh Mouth - sexualidade
Imagem: Giphy

7. Girl Power

A série mostra a puberdade através da experiência de garotos e garotas. E, com os dois gêneros, há tentativas de transgredir machismos e mostrar liberdades individuais. No caso das garotas, dá para dizer que são menos românticas idealistas e mais empoderadas e desencanadas. Ou melhor: garotas também sentem tesão. 

Bigh Mouth - empoderada

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Opiniões Estilo
Redação
Redação
Redação
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
BBC
Redação
BBC
BBC
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
Blog da Morango
do UOL
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Topo