Comportamento

10 perguntas que você sempre quis fazer sobre sexo anal, mas tinha vergonha

Getty Images
O sexo anal pode proporcionar uma enorme satisfação sexual Imagem: Getty Images

Daniela Carasco

do UOL, em São Paulo

24/11/2017 04h00

Nem em tempos de liberação sexual, o tabu do sexo anal foi derrubado. Há quem diga que não gosta mesmo sem ter experimentado. Outros são cheios de pudores e preferem nem tentar. Para Natalia Barros Lopes, sexóloga e terapeuta sexual, o pé atrás tem a ver com desconhecimento e preconceito.

“Por se tratar de uma região excretora, a prática do sexo anal ainda é relacionada a algo sujo”, conta. “Mas a verdade é que ele pode proporcionar uma enorme satisfação sexual, por conta da vascularização local, cheia de terminações nervosas.”

Para dar fim aos mitos, a especialista responde aqui às principais perguntas que você sempre quis fazer, mas tinha vergonha.

1. Vai doer?

Se for a primeira vez ou houver medo, vai sim. Afinal, em ambos os casos, a reação mais comum é a de contrair a musculatura. Para evitar incômodo e curtir altas doses de prazer, é preciso basicamente estar relaxado e consentir o ato. Aí, não tem erro, nem dor.

2. Algum produtinho ajuda a evitar desconforto?

Diferentemente da região vaginal, a anal é menos elástica e pouco lubrificada naturalmente. Por isso, besuntá-la com um lubrificante à base de água é super aconselhado.

3. Pode dar vontade de fazer o nº 2?

Pode, mas não deve ser nenhum drama. A sugestão da especialista é fazer uma limpeza intestinal antes da prática, a famosa “chuca”, que ajuda a evitar o imprevisto. Basta jorrar água com um chuveirinho no reto. Só faça com moderação para não acarretar prejuízos intestinais causados por acúmulo de água na região. Agora, se acontecer de evacuar, Natalia aconselha agir com naturalidade. Daí a importância da cumplicidade entre o casal.

Veja também:

4. Então tem que lavar antes de usar?

Preferencialmente, sim! Água e sabão, além da duchinha, é o suficiente. Esse processo ajuda a eliminar qualquer resquício de fezes e tira o mau cheiro. Feito isso, não há com o que se preocupar na hora H.

5. Vou ficar com hemorroida?

É raro, mas pode acontecer. Sem relaxamento e lubrificação suficiente, a fricção provoca fissuras, que podem virar hemorroida. Se um vaso hemorroidário já estiver inflamado, as chances também existem, pois eles dilatam com o atrito. Atenção!

Getty Images
Imagem: Getty Images
6. Pênis largo machuca mais?

Segundo Natalia, alguns homens têm o calibre peniano um pouco maior que a média. Então, a dica é garantir a lubrificação e só penetrar quando a parceira ou parceiro der o aval. Para evitar um incômodo maior, a posição deitada de lado ajuda. Assim, quem está sendo penetrado consegue controlar a velocidade. Isso não é possível, por exemplo, quando se está de quatro ou por baixo. Nesses dois casos, quem determina o ritmo é o parceiro.

7. Pode acontecer de engravidar?

Não. Para a gravidez acontecer, a penetração deve ser feita pelo canal vaginal, que está diretamente ligado aos órgãos reprodutores femininos, onde ocorre a fecundação entre óvulo e espermatozoide.

8. É normal sangrar?

Se a pessoa tiver hemorroida ou se as pregas anais se romperem durante a penetração, pode sim acontecer um sangramento discreto. Só não é comum que seja um sangue muito vivo e volumoso. Neste caso, deve ser avaliado por um médico.

9. O risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis é maior?

Sim! As microfissuras na região do ânus e reto facilitam a contaminação. Além dos riscos de HIV, HPV, gonorreia, herpes, hepatite C, existem os de infecções bacterianas, como uretrite. Por isso, como em qualquer outra relação sexual, o uso da camisinha é fundamental. E lembre-se de trocar o preservativo antes de partir para a penetração vaginal.

10. O orgasmo é diferente de tudo o que já senti?

Quem está em busca de sensações nunca antes sentidas, esse é o caminho. O ânus tem inúmeras terminações nervosas que provocam orgasmos diferentes. Se quiser turbinar o efeito, procure estimular ao mesmo tempo outra zona erógena, como clitóris, mamilo ou orelha.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
EFE
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Agência Estado
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
BBC
do UOL
BBC
AFP
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
ANSA
BBC
Topo