Comportamento

Morre pai que levou filha ao altar em casamento dentro de hospital nos EUA

Acervo Pessoal/Ed Photography
Vieneese e o pai, Preston Imagem: Acervo Pessoal/Ed Photography

do UOL, em São Paulo

05/12/2017 13h44

O americano Preston Rolan, que lutava contra um câncer e ficou conhecido mundialmente há algumas semanas após levar a filha ao altar em uma cerimônia de casamento realizada dentro de um hospital, morreu nesta segunda, dia 4.

Veja também

Vieneese Stanton, de 27 anos, contou à revista "People" que o pai não resistiu à leucemia depois de 10 meses de tratamento. Ele tinha 64 anos. "Eu não conseguia acreditar [na notícia]. Eu sabia que o tempo dele era muito limitado. Eu realmente achei que ele se fosse hoje ou amanhã, mas ouvir é muito diferente". 

"Eu perdi meu Super-Homem. Sei que ele está em um lugar muito melhor e não está sofrendo mais, mas me sinto um pouco egoísta [porque] aquela ligação doeu e até minha última lembrança dele doi", escreveu em seu Facebook.

Vieneese e o marido, Douglas, planejavam o casamento para abril de 2018, mas ao ouvirem dos médicos que Preston tinha apenas algumas semanas de vida, decidiram antecipar a celebração — que aconteceu nos corredores do University of California San Francisco Medical Center, em Richmond, onde ele estava internado.

Amigos, família e equipe do hospital acompanharam a cerimônia no dia 16 de novembro. "Ele ficou totalmente surpreso, parecia que ia chorar a qualquer momento. Ele se vangloriava para todas as enfermeiras: 'Esta é minha filha, é minha filha!", relembrou à publicação.

Acervo Pessoal/Ed Photography
Douglas, Preston e Vieneese Imagem: Acervo Pessoal/Ed Photography

"Eu o vi nos seus últimos dias de vida e, definitivamente, não era mais ele mesmo. Ele já tinha partido, a personalidade dele [tinha ido embora]. Ele não estava falando, comendo. Estou feliz que ele não tenha que passar mais por isso, que ele não tenha mais que se sentir assim. Meu pai amava demais minha mãe, sei que ele está extremamente feliz de estar com ela novamente", concluiu.

Grávida de cinco meses, a americana lamenta que o pai não vá conhecer sua filha. "Há, definitivamente, um grande vazio. Eu me sinto bem vazia. E muito triste pela minha bebê. Ela não terá os avós maternais. Sei que tenho este vazio e que a minha filha também terá o mesmo por não ter esta conexão com os avós".

"Eu o amo muito. E nunca vou esquecer as coisas que você me ensinou. Você me fez acreditar no impossível, ter fé em Deus não importando o que meus olhos vissem e mantendo minha palavra acima de tudo. E você me deu força e confiança que eu nunca soube que tinha", disse ainda na homenagem ao pai nas redes.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
BBC
Bloomberg
Redação
Redação
Redação
Blog do Fred Mattos
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
EFE
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Agência Estado
Blog da Morango
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
BBC
do UOL
BBC
AFP
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo