Comportamento

9 verdades que não te falaram sobre relação sexual

iStock
Esclarecer alguns mitos pode ajudá-la a curtir mais este momento Imagem: iStock

Carolina Prado

Colaboração com o UOL

03/01/2018 04h00

Nem todo mundo se sente à vontade para conversar sobre sexo. E exatamente por isso, às vezes, acreditamos em conversas de lençol que não são verdadeiras. A seguir, jogamos a real sobre alguns desses assuntos.

Veja também

1. Tem que ter preliminar, sim!

Ela é parte essencial do sexo. Primeiro, porque ajuda a fortalecer o relacionamento, graças ao momento de cumplicidade, carinho e desejo. Além disso, “para grande parte das mulheres, boas preliminares são fundamentais para atingir o orgasmo”, conta a educadora sexual Elaine Pessini. Com as preliminares, descobrimos zonas erógenas pelo corpo todo, não somente nos órgãos genitais. “O sexo não deve ser sinônimo de penetração, isso é restringir demais o prazer”, fala a terapeuta sexual Thais Plaza.

2. Preliminar não é só sexo oral.

O sexo oral pode ser uma excelente preliminar, mas a vida sexual pode cair na mesmice se ele sempre for usado como o “esquenta” da transa. “Uma preliminar interessante é a massagem sensual, em que a pessoa toca delicadamente o corpo da outra, com a ponta dos dedos, em velocidade reduzida, explorando cada centímetro do corpo. Beijar é outra forma de esquentar qualquer preliminar. Beijar a boca com intensidade, o pescoço, os seios, cada parte do corpo”, conta Thais.

3. Mas sexo oral bem feito é meio caminho andado para uma boa transa.

O pênis é todo o conjunto, não apenas a glande. “Os testículos e o corpo do pênis merecem receber a mesma atenção”, diz Gislene. Use lábios e língua à vontade, mas cuidado com os dentes, pois eles podem machucar e acabar com a vibe. Já a dica para o sexo oral na mulher é: não tenha pressa. Também é preciso tomar cuidado com os dentes. “Uma dica interessante é fazer um movimento de 8 com a língua, sendo o ponto central o clitóris dela”, indica Mary.

4. Fantasia sexual não é coisa de gente pervertida.

A fantasia pode ser saudável, sim, desde que seja realizada com consentimento e que seja prazeroso para ambos os parceiros. “As fantasias fazem com que o relacionamento não caia na rotina e na mesmice. As práticas passam a ser excessivas e perigosas quando começam a comprometer o relacionamento, quando colocam em risco a saúde física e emocional do parceiro, quando há desalinhamentos nos acordos e limites”, finaliza Gislene

5. Mulher também sente prazer com sexo anal.

O ânus tem muitas terminações nervosas e a sua estimulação pode ser agradável, desde que feita da maneira correta. Como não há produção natural de lubrificação, como ocorre com a vagina, é preciso usar um lubrificante à base de água. A camisinha também é indispensável, pois é uma região cheia de bactérias. Mas, como ainda há muito tabu sobre a prática, muitas mulheres veem o sexo anal com receio ou nojo. Mesmo sem tentar.

6. Encanar na hora de tirar a roupa é normal.

Muitas mulheres e homens sentem uma certa insegurança sobre o que o outro vai achar do corpo deles - se vai julgar a celulite, a estria, o tamanho do pênis, dos seios ou da barriga. “É inquestionável o papel da autoconfiança no sexo, pois ela passa pelo amor próprio e autoconhecimento. Este conjunto faz com que a pessoa se sinta pronta e confortável. Não há gordurinha ou celulite que interfira nessa entrega”, lembra Gislene.

7. Se não pedir o que você quer, pode ser que nunca tenha.

A dificuldade em falar sobre as vontades aparece principalmente entre as mulheres, porque ainda hoje elas são reprimidas quanto à sua sexualidade. Tudo pode em uma relação sexual, desde que seja com consentimento e desejo dos envolvidos. Mas como fazer isso quando ainda há um bloqueio? “Na hora da relação, procure direcionar a mão do parceiro para o lugar que faz você sentir prazer, ou falar no ouvido, baixinho, o que deseja”, sugere Elaine Pessini.

8. Fazer várias perguntas durante o sexo não é legal.

Você até pode querer saber se o (a) parceiro (a) está curtindo, se está perto de gozar ou se quer trocar de posição, por exemplo. Mas é muito chato ouvir perguntas o tempo todo durante o sexo. “Se estiver bom, você vai saber. Se ele (a) quiser trocar de posição, vai tomar a iniciativa. Se você quiser trocar, simplesmente faça. Deixe fluir a situação, deixe o instinto falar mais alto”, diz Mary Barros, coach em relacionamento e sexo.

9. Orgasmo feminino não acontece automaticamente com a penetração.

Há quem pense que, para a mulher chegar lá, a penetração basta. “Grande parte das mulheres não tem orgasmo com a penetração mas, sim, com a estimulação do clitóris. O orgasmo clitoriano ainda é o top do prazer feminino. Então, a penetração, anal ou vaginal, junto com a estimulação do clitóris, pode ser a dupla perfeita”, conta Gislene Teixeira, coach de relacionamento e sexualidade.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

EFE
BBC
EFE
Blog Alto Astral
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
BBC
BBC
BBC
Blog do Fred Mattos
Blog Alto Astral
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
ANSA
Redação
Blog Alto Astral
Redação
Redação
Redação
Da Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
ANSA
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
EFE
BBC
BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
ANSA
Sem Filtro
Topo