Relacionamento

O que você precisa saber para sobreviver a uma traição

Getty Images
É natural achar que você falhou e por isso foi atraído, mas resista ao impulso de se culpar Imagem: Getty Images

Carolina Prado

Colaboração para o UOL

12/02/2018 04h00

Descobrir uma traição pode provocar uma onda de sentimentos intensos como tristeza, ciúme e insegurança. Não é raro que o traído venha a apresentar sintomas de estresse profundo. Por mais que você sinta a vida fora do eixo ao descobrir, é possível sobreviver. Veja dicas para encarar a turbulência.

Não tome decisões com a cabeça quente

Na hora, é difícil ser racional. As chances de reagir de maneira negativa e impulsivamente crescem um bocado. Portanto, o momento não é propício para decisões. “É aconselhável a pessoa se recolher, para identificar o que está sentindo. É aos poucos que vai resgatar a racionalidade”, fala Vanessa Ebeling, psicóloga especialista em terapia de casal e sexualidade.

Veja também:

Preserve a intimidade

Os primeiros dias são os mais difíceis de encarar. A situação pode ser mais delicada ainda quando o casal tem filhos e nem sempre é possível uma separação física imediata, para esfriar a cabeça. Segundo Vanessa Ebeling, é importante preservar a intimidade do casal, por mais difícil que seja, evitando, em um primeiro momento, envolver familiares, filhos e amigos.

Não se culpe

Depois de descobrir a infidelidade do parceiro, o próprio traído pode se sentir culpado. “Ele, muitas vezes, passa a acreditar que não é atraente o suficiente para o parceiro infiel, que não se dedicou o suficiente e coisas do tipo”, diz o psicólogo Thiago de Almeida, especialista no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso e doutor pelo Departamento de Psicologia da Aprendizagem do Desenvolvimento da Personalidade da USP (Universidade de São Paulo). A culpa é reforçada quando quem trai tenta inverter o jogo, para se livrar da responsabilidade. Fique atento e se esforce para se livrar do sentimento.

Avalie se quer/consegue perdoar

Passado o impacto da descoberta, pode ser hora de tomar decisões importantes, como seguir em frente com a relação ou não. A escolha depende da sua capacidade de perdoar, da reação de quem traiu e do significado de infidelidade, que varia para cada casal. “É necessário muito diálogo, disposição de ambos para superar e a compreensão dos fatores que motivaram a infidelidade”, fala Vanessa.

Algumas perguntas podem ajudar a identificar se uma pessoa está ou não pronta para dar uma nova chance:

  • Sou capaz de perdoar e superar um episódio de infidelidade?
  • É uma relação que vale a pena lutar para não terminar?
  • Quais sentimentos tenho pelo parceiro?
  • A infidelidade é um padrão de comportamento frequente?
  • O que me mantém nessa relação até hoje? Isso é muito importante para mim?
  • Os saldos positivos são maiores que os negativos?
  • Se eu tivesse de avaliar parte da minha responsabilidade no desajuste da relação, que pode ter ligação com a infidelidade, o que posso citar? É possível eu mudar esses pontos?
  • Estou disposto a reinvestir na relação?

Veja como o parceiro se coloca

Perdoar demanda paciência e diálogo. Quando alguém decide continuar na relação, de início, a desconfiança pode ser incontrolável. Mas o perdão é possível quando o parceiro que traiu se arrepende e se dispõe a colaborar com o processo. “Não são casos extraconjugais que acabam com relacionamentos amorosos e, sim, a incapacidade do parceiro infiel de ser sincero sobre o que aconteceu”, diz Thiago de Almeida.

Pese se não é hora de pôr um ponto final

Talvez seja a hora de dizer adeus se o relacionamento é ou, por alguma razão, tornou-se tóxico (mais causa dor do que alegria) ou quando o padrão de infidelidade se repete. O medo de ficar sozinho e a crença de que não será amado novamente também não justificam manter o relacionamento.

Sem pressa de ficar bem

Haverá períodos de oscilação entre tristeza, mágoa e raiva, aliados ao sentimento de frustração. Sabendo disso, não deixe que ninguém apresse o seu processo de recuperação. Você não tem de esquecer ou superar no tempo dos outros. Ajuda a recuperar a autoestima praticar atividades que aumentam a sua confiança –seja se envolver em um novo projeto profissional, começar aulas de dança ou cair na noite. E evite gastar energia odiando o “ex”, que só provocará mais dor em você.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Blog Nós
Blog da Regina
Blog Luciana Bugni
Redação
Fabricio Carpinejar
do UOL
Blog da Regina
Redação
Blog Deu Match
Redação
do UOL
Blog Luciana Bugni
Blog Luiza Sahd
Blog da Regina
Blog Deu Match
do UOL
Redação
Redação
Blog Deu Match
Blog Luciana Bugni
Fabricio Carpinejar
Redação
Redação
Redação
ANSA
do UOL
AFP
Redação
do UOL
Redação
BBC
Redação
Redação
EFE
Fabricio Carpinejar
Redação
Redação
do UOL
Fabricio Carpinejar
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Fabricio Carpinejar
Redação
Redação
Redação
Topo