Sexo

Você gosta de sexo? Quanto?

Thinkstock
Imagem: Thinkstock

Faça o teste, elaborado com a consultoria do ginecologista e terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ e avalie-se

  1. 510

    Ao ver alguém interessante, qual é a primeira coisa que pensa?

    Thinkstock
  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Hoje não, obrigado

    Você não gosta muito de sexo e, na maioria das vezes, faz só para agradar o parceiro ou porque se sente socialmente cobrado. 'Há pessoas com menos desejo, que valorizam outras coisas além da libido, como a profissão, por exemplo. Outras possuem um histórico familiar em que o sexo não era bem visto e acabam não desenvolvendo este lado', afirma o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Ninguém é obrigado a gostar de transar, mas isto pode se tornar um problema no relacionamento a dois. Se acontecer, ou se a baixa libido começar a incomodar, vale a pena procurar um terapeuta.

  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Sexo é bom e você gosta

    Você valoriza o sexo nos relacionamentos. E com razão! Ao transar, você expressa sentimentos, estreita a relação a dois e ainda reforça a autoestima. ?Fazer sexo aumenta a confiança em si mesmo, à medida que ele atesta a capacidade individual de provocar o desejo no outro. Sem contar que para transar espontaneamente é preciso estar bem consigo mesmo e com o próprio corpo?, avalia o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Não é preciso transar todos os dias para colher estes benefícios, o fundamental é que a prática seja prazerosa.

  • Thinkstock
    [[pts]] de 60 pontos

    Movido a sexo

    Você pensa muito em sexo e não vive sem. Até aí, normal. ?O problema é quando o prazer se transforma numa saída para aliviar, mesmo que temporariamente, todo tipo de mal estar. Nesse caso, a pessoa não se importa com os beijos, abraços e carinhos antes e depois do sexo, ela só quer amenizar aquela sensação o mais rápido possível?, explica o terapeuta sexual Amaury Mendes Junior, professor do ambulatório de Sexologia da UFRJ. Esse tipo de comportamento pode indicar uma compulsão sexual, quadro que não é nada saudável e requer tratamento com psicoterapia e medicamentos.

  • [[pts]] de 60 pontos

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

BBC
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
UOL Estilo
comportamento
Redação
Redação
Opiniões Estilo
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Estilo
Redação
Redação
Redação
Comportamento
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Comportamento
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Topo