Sexo

Veja 15 curiosidades do universo dos filmes pornôs

Reprodução
John Holmes Imagem: Reprodução

Heloísa Noronha

Colaboração com o UOL

17/11/2017 04h00

Do valor pago por cena até as estrelas mais bem pagas e bem dotadas e os nomes hollywoodianos que fizeram filmes eróticos antes da fama, desvende os bastidores desse mundo tão peculiar. 

Garganta lendária

Lançado em 1972, "Garganta Profunda" é considerado o grande clássico do cinema pornô. O filme conta a história de uma mulher infeliz no sexo (Linda Lovelace) que descobre que tem o clitóris na garganta. Por esse motivo, precisa encontrar um parceiro com um pênis gigantesco para satisfazê-la. O nome da produção acabou virando gíria para o tipo de sexo oral, obviamente, mais profundo. Em um livro autobiográfico, Linda confessou que era vítima de vários abusos do marido, que inclusive chegou a cobrar para que ocorresse um estupro coletivo dela e a forçou a fazer cenas de zoofilia. Ela morreu em 2002, alegando que nunca viu nenhum centavo por "Garganta Profunda".

Getty Images
A atriz Linda Lovelace Imagem: Getty Images

Pioneiro nacional

O primeiro filme pornô brasileiro foi lançado há 35 anos. Para a primeira exibição, no famoso Cine Windsor (em plena Avenida Ipiranga, no centro de São Paulo), centenas de pessoas formaram uma fila que dobraram o quarteirão. Com direção de Raffaele Rossi e Laente Calicchio, o longa-metragem apresentava três histórias com cenas explícitas e mudou o rumo das produções da época. Mais de quatro milhões de espectadores conferiram as cenas do filme, que virou tema de livro e de documentário em seu aniversário de 30 anos.

Bem-dotado

Com um pênis que atingia a marca de 38,5 cm ereto, o norte-americano John Holmes (1944-1988) foi uma lenda do auge da indústria pornô, em meados dos anos 1970. Com seu corpo atlético e portando o típico bigodão sensual padrão da época, ele estreou centenas de filmes e chegou a receber 3 mil dólares por dia. Em 1986, depois de protagonizar escândalos envolvendo drogas, assalto e acusação de homicídio, admitiu que era portador do vírus HIV. Mesmo assim, continuou a estrelar produções sem usar camisinha. Morreu abandonado em um hospital para veteranos de guerra. Seu membro célebre pode ser conferido no livro "The Big Penis Book" (Taschen, 2008), que traz cerca de 400 fotos históricas e explícitas dos maiores órgãos sexuais masculinos do século 20. E, também, pode ser, digamos, vivenciado em várias opções disponíveis em sex shops, que oferecem réplicas do pau famosão.

Leia também

Oscar Pornô

Há quatro anos o Brasil conta com o Prêmio Sexy Hot, o "Oscar Pornô". Na última edição, que aconteceu em junho na capital paulista, a atriz Emmie White foi a grande vencedora: ela conquistou os troféus das categorias Melhor Atriz Homo Feminina (pelo filme "Festival Bucetal"), Melhor Cena de Sexo Oral ("Desejos Femininos", com Erick Fire), Melhor Cena de Orgia/Gang Bang ("Orgasmos Múltiplos", na companhia de  Mel Fire, Angel Lima, Fabi Thompson e Paty Kimberly) e Melhor Cena Homo Feminina ("Sessões de Fetiche 3", com Grazzie).

Pênis costurado

John Wayne Bobbitt ganhou notoriedade em 1993, após ter seu pênis cortada com uma faca pela esposa enfurecida. O motivo? Ele teria chegado em casa bêbada e estuprado. Lorena Bobbit jogou o membro decepado pela janela do carro, em direção a um terreno baldio, mas depois confessou o que fez e a polícia conseguiu encontrá-lo. Para felicidade de John, o pênis foi reimplantado e, segundo o proprietário, voltou a funcionar até melhor do que antes. O casamento se desfez, mas o sujeito conseguiu ingressar na indústria pornô ao protagonizar dois filmes: “John Wayne Bobbitt Uncut” e “Frankenpenis”. Após essa breve carreira, trabalhou em um bordel como garçom, em um restaurante e como caminhoneiro.

Antes da fama

Várias celebridades tiveram seus momentos na indústria pornô antes pisarem na calçada da fama em Hollywood. Cameron Diaz, por exemplos, tinha 19 anos quando participou do curta "She's no Angel", com pegada sadomasoquista light. Na década de 1970, muito antes de se consagrar em filmes sobre artes marciais com pegada cômica, Jackie Chan protagonizou a comédia pornô oriental “Tudo Em Família”. Antes de virar o eterno Rambo, quem diria, Sylvester Stallone participou de “The Party at Kitty and Stud’s”, de 1970, para pagar as contas. David Duchovny, dos seriados "Arquivo X" e "Californication", e Matt LeBlanc, de "Friends", apareceram em episódios da série "Red Shoe Diaries” (1992-1996).

Estrela milionária

"Aposentada" desde 2007, a norte-americana Jenna Jameson é a estrela que mais faturou com a indústria pornô. Ela acumula uma fortuna estimada em 30 milhões de dólares e administra uma série de negócios, como o estúdio ClubJenna. Ela também produziu um reality show em que os competidores disputaram um contrato para um filme pornô.

Menor de idade

Nascida Nora Louise Kuzma, a atriz norte-americana Traci Lords enganou vários nomes da indústria pornô nos anos 1980 a respeito de sua idade e rodou a maior parte de seus filmes antes de completar 18 anos de idade. O primeiro foi aos 16. Seu namorado, muitos anos mais velho, fingia ser seu padrastp. Quando a mentira veio à tona, várias fitas VHS com suas performances foram apreendidas e os produtores acabaram processados. Aposentou-se em 2001, aos 33 anos. Antes, fez alguns filmes convencionais, como "Cry Baby" (1990), com Johnny Depp.

Zoofilia polêmica

Monica Mattos é a mais conhecida atriz pornográfica brasileira. Ela começou a carreira com apenas 18 anos de idade e fez grande sucesso no início dos anos 2000. Em 2006, causou furor (e muito escândalo) ao aparecer em um vídeo onde praticava sexo oral em um cavalo. A morena, que também fatura estrelando shows de striptease pelo Brasil, já participou de mais de 300 filmes e, em 2008, tornou-se a primeira latino-americana a faturar o prêmio de Atriz Estrangeira de Ano da Adult Videos News Awards.

Nerd do pornô

Asia Carrera, cujo nome verdadeiro é Jessica Steinhauser, se autonomeia "a nerd do pornô": seu QI é de 156. Para quem não sabe, quando o resultado dá acima de 140 pontos, a pessoa é considerada um gênio. Asia toca Bach no piano e adora física quântica. Filha de pai japonês e mãe alemã, ela fugiu de casa pouco antes de ganhar uma bolsa integral para estudar administração e japonês na Universidade Rutgers (EUA), quando decidiu que ganharia mais dinheiro com o corpo do que com o cérebro. Em dez anos de labuta (1993 a 2003), ela fez cerca de 370 filmes.

Código de segurança

Em geral, enquanto os astros pornô masculinos são geralmente pagos com cerca de 150 dólares por cena, as artistas femininas ganham entre 600 e 1000 dólares por cena. As sequências de sexo anal são as que rendem mais dinheiro, seguidas pelas de dupla penetração. Em cena, atores e atrizes costumam combinar códigos entre eles para que as mulheres possam avisar se alguma coisa estiver incomodando ou se o homem estiver machucando. Ciente do código, é possível diminuir o ritmo, pegar mais leve ou até mesmo trocar de posição sem que a sequência precise ser interrompida.

Truque do xixi

Não acredite em tudo o que vê: há vários macetes para dar a impressão de o que os astros são bem-dotados, como determinados planos e até depilações específicas. Para as cenas de "squirting", quando a mulher goza em "jatos, as atrizes ingerem muita água antes e durante as sequências e simulam a ejaculação com a própria urina.

Getty Images/Vetta
Imagem: Getty Images/Vetta

Estatísticas

Segundo dados de 2016 do portal de conteúdo pornô Pornhub, a média é de 64 milhões de acessos por dia. Os cinco países que mais visitam o Pornhub, respectivamente, são: Estados Unidos, Islândia, Reino Unido, Canadá e Nova Zelândia. Os brasileiros permanecem 8m8s online.

Versões nada inocentes

Paródias de filmes blockbuster fazem a alegria dos amantes da pornografia - existem até produtoras especializadas no "ramo". Uma que vem fazendo muito sucesso ultimamente é a Wood Rocket, que detona até desenhos animados infantis como "Hora de Aventura": em “Assventure Time – The XXX Parody”, Finn faz maravilhas com a Princesa Jujuba e Marceline. Há ainda versões para Toy Story", na qual os brinquedinhos eróticos ganham vida, "Game of Thrones", em que o famoso trono surge coberto por pintos, entre outras.

Feminismo

A sueca Erika Lust foi a pioneira do chamado "pornô feminista". Em vez de ângulos ginecológicos, mulheres submissas e roteiros priorizando fantasias masculinas, suas produções priorizam o ponto de vista e o prazer femininos, cenários bonitos e o combo romantismo + sacanagem.

Divulgação
A diretora Erika Lust Imagem: Divulgação

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Redação
Mayumi Sato
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Redação
Mayumi Sato
Redação
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Redação
Redação
Redação
BBC
Redação
do UOL
Redação
do UOL
Redação
Mayumi Sato
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
Mayumi Sato
do UOL
Topo