Gravidez e filhos

21 itens que eram hits das festas de aniversário dos anos 1970/80

Livia Valim

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/04/2016 07h15

Mesas de madeira aparente sem toalha, "naked cake" (bolo pelado, em inglês), "cake pop" (bolo no palito, em inglês), pasta americana, bolo com mais de um andar... Todos esses itens tão comuns nas festas de hoje em dia não eram usados nem em sonho nos aniversários do anos 1970 e 1980.
 
Sim, os tempos mudaram, mas algumas coisas deixaram saudades em nossos corações (ou não). Veja a seguir 21 hits das festinhas de aniversário de antigamente.
 
  • Imagem: Arquivo Pessoal
    Arquivo Pessoal
    Imagem: Arquivo Pessoal

    Bolos enormes

    Se hoje os bolos cresceram para cima e são cheios de camadas, nos anos 1970/1980, eram baixos e ocupavam grande parte da mesa. Cheios de chantilly e confeitos coloridos, o que importava era não faltar pedaços para todos os convidados da festa.

  • Imagem: Arquivo Pessoal
    Arquivo Pessoal
    Imagem: Arquivo Pessoal

    Bexiga cheia de bala

    O ponto alto da festa era estourar uma bexiga enorme cheia de guloseimas. Geralmente, o aniversariante tinha o privilégio de começar a brincadeira, mas era só o bexigão estourar para os convidados se jogarem no chão para pegar o máximo de balas que suas pequenas mãos pudessem.

  • Imagem: Arquivo Pessoal
    Arquivo Pessoal
    Imagem: Arquivo Pessoal

    Bala de coco

    Não tinha uma festa infantil que não tivesse as balas de coco embaladas em papel crepom. A franja das embalagens formavam cascatas que enfeitavam a mesa. Isso no início da festa, pois logo a decoração começava a apresentar buracos feitos por convidados ansiosos.

  • Imagem: Arquivo Pessoal
    Arquivo Pessoal
    Imagem: Arquivo Pessoal

    Canudinho

    Com recheio de doce de leite ou maionese, eles eram presença garantida nos aniversários de criança. Comprados prontos, bastava recheá-los e fazer um desenho bonito na bandeja na hora de servir os convidados do evento.

  • Imagem: Reprodução/Google
    Reprodução/Google
    Imagem: Reprodução/Google

    Enfeite para garrafa

    As garrafas de refrigerante também entravam na decoração da festa e eram colocadas na mesa do bolo. Nas festas mais chiques, as garrafinhas ganhavam capinhas de papelão com o tema do aniversário

  • Imagem: Reprodução/Google
    Reprodução/Google
    Imagem: Reprodução/Google

    Lençol na parede

    Se a parede não fosse tão bonita, bastava pegar um lençol ou qualquer outro pedaço de tecido na gaveta para esconder as imperfeições. Se o lençol fosse decorado, então, já estava decidido o tema da festa!

  • Imagem: Reprodução/Google
    Reprodução/Google
    Imagem: Reprodução/Google

    Chapéu de papelão

    Se todas as crianças não estivessem com o chapéu da festa, as fotos não ficavam boas. Os menores se irritavam com o elástico que ficava próximo do pescoço para prender o adereço. Alguns até o estouravam de tanto mexer no chapéu, mas, no fim, dava tudo certo na hora de cantar o "Parabéns".

  • Imagem: Reprodução/Google
    Reprodução/Google
    Imagem: Reprodução/Google

    Carne louca

    A panela com carne desfiada geralmente ficava na mesa e os minipães cortados ao lado. Quem tivesse fome, era só ir lá e se servir. O melhor é que quando esfriava, bastava voltar a panela um pouco para o fogão que a carne recuperava sua melhor forma. Bons tempos quando ninguém se preocupava com as bactérias.

  • Imagem: Arquivo Pessoal
    Arquivo Pessoal
    Imagem: Arquivo Pessoal

    Língua de sogra

    Tinha coisa mais irritante do que alguém assoprando uma língua de sogra bem na sua orelha? Não tinha, por isso era tão divertido. Colorido, o brinquedo até servia, às vezes, para decorar a mesa do aniversário. O único revés para quem adorava brincar era quando o papel rasgava.

  • Imagem: Divulgação
    Divulgação
    Imagem: Divulgação

    Bolo gelado no papel alumínio

    Esqueça o "naked cake", embalagens de chiffon e cobertura de pasta americana... O bolo que realmente fazia sucesso nas festas infantis era o bolo gelado de coco embrulhado no papel alumínio. Quanto mais molhadinho, melhor. Só dava um pouco de trabalho ter de lamber toda a cobertura que grudava na embalagem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo