Gravidez e filhos

Fim da neura: saiba quando é hora de deixar de esterilizar os itens do bebê

Getty Images
Mamadeira, chupetas e mordedores precisam de cuidados especiais Imagem: Getty Images

Cecília Pabst

Colaboração para o UOL

06/03/2016 07h15

Quando nascem, os bebês não têm um sistema imunológico maduro para se defenderem das milhões de bactérias que tentam invadir o corpo humano diariamente. Uma das medidas adotadas pelos pais para proteger a criança é esterilizar os objetos que são levados à boca, assim como passar com ferro bem quente os itens do enxoval para minimizar os riscos de contaminação.

Mas até quando os adultos devem adotar esses cuidados especiais? Tire suas dúvidas a seguir.

  • Mamadeiras e bicos para alimentação

    Até o sexto mês do bebê, a cada uso, é importante desmontar a mamadeira e lavá-la com água corrente e detergente, usando uma escova de cabo comprido. Também a cada uso é preciso esterilizá-la, o que pode ser feito de duas maneiras. A primeira é em fogão convencional, colocando os itens em uma panela, com água cobrindo-os, e ferver por, pelo menos, cinco minutos. A segunda é em um esterilizador para micro-ondas, bastando seguir as orientações do manual do produto. A partir do sétimo mês do bebê, basta esterilizar uma vez por dia até que ele complete um ano. "Não tomar esse cuidado inicial pode predispor a criança a uma infecção, especialmente a diarreia", afirma Felipe Lora, pediatra do Hospital Infantil Sabará, de São Paulo.

  • Chupetas e mordedores

    A boca tem um revestimento mucoso --a parte avermelhada de dentro-- que é mais frágil e suscetível à passagem de micróbios. Quando recém-nascido, a indicação é esterilizar a chupeta sempre antes de usar ou depois de ela cair no chão. Depois dos seis meses, lavar com água corrente e detergente neutro já é suficiente. Mas toda vez que cair no chão, mesmo depois dos seis meses, não custa passar em água corrente. Os mordedores, indicados a partir do momento em que os dentes começam a nascer ou a gengiva coçar, podem ser lavados apenas com detergente neutro, em água corrente, desde o primeiro uso. "Do mesmo modo que limpamos os objetos que vão à boca do bebê, devemos lembrar de lavar as mãos antes de mexer na criança ou pegar nessas peças. De nada adianta limpar tão bem tudo e, ao pegá-la, contaminá-la com bactérias das mãos sujas", afirma Victor Nudelman, pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo.

  • Lençóis, toalhas e babadores

    Os riscos de infecção em bebês são maiores até os três meses de vida. Durante essa primeira etapa, portanto, é indicado lavar os itens do enxoval separados das peças dos adultos, e usar sabão de coco para evitar alergias. Depois de secos, os tecidos que são levados à boca, como lençóis, toalhas e babadores, devem ser passados com ferro quente para afastar as bactérias. No entanto, essa rotina não precisa ser levada ser mantida por muito tempo. "Após o quarto mês, não é mais necessário passar se não tiver tempo", diz Jayme Oliveira Filho, dermatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, de São Paulo.

  • Roupinhas

    Antes do primeiro uso, as roupas do bebê devem ser lavadas apenas com sabão de coco e passadas a ferro. A mesma rotina deve ser feita a cada lavagem. Após os seis meses, quando a pele do bebê já está mais resistente, consulte o pediatra da criança sobre a conduta ideal. "É melhor lavar tudo sem aditivos como amaciantes, alvejantes, removedores de manchas e sabão em pó comum até completar um ano, quando, então, é seguro lavar as peças com as roupas dos adultos", diz Oliveira Filho. "Porém, uma criança com tendência a alergias ou dermatite talvez precise desses cuidados por um prazo mais prolongado", fala Lora.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo