Estilo de vida

Bebedeira excessiva preocupa entre os jovens ocidentais

Getty Images
Proporção de meninos que nunca tomou bebida alcoólica diminuiu Imagem: Getty Images

Em Paris

 

A rápida absorção de grandes quantidades de álcool, também conhecida como "binge drinking", tem aumentado entre os jovens ocidentais, a ponto de se tornar um fenômeno preocupante, de acordo com um relatório da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) publicado nesta terça-feira (12). 

Embora o consumo médio de álcool tenha diminuído ligeiramente há 20 anos entre os países da OCDE , o consumo excessivo de álcool pelos jovens aumentou, segundo este estudo.

Um dado obtido na pesquisa mostra que a proporção de meninos que, aos 15 anos, nunca tinha bebido álcool caiu de 44% em 2001/2002 para 30% em 2009/2010. A proporção daqueles que aos 15 anos beberam pelo menos uma vez aumentou de 30% para 43% no mesmo período.

"Nossa principal preocupação é o consumo de álcool entre os jovens", ressaltou Stefano Scarpetta, diretor para o emprego, política social e saúde na OCDE durante a apresentação do relatório "A luta contra o uso nocivo do álcool".

"Os níveis de 'consumo perigoso' e de 'excesso de alcoolização episódica' entre os jovens, especialmente as mulheres, têm aumentado em muitos países da OCDE", resume o relatório da organização.

Um episódio de "binge drinking" corresponde à absorção de cinco a oito 8 drinques em uma única ocasião, como uma festa ou saída. Um consumo de álcool perigoso corresponde à absorção de mais de 210 gramas de álcool puro por semana para homens e mais de 140 gramas para uma mulher (um copo de vinho ou um copo de cerveja é igual a 10 gramas).

Parte do fenômeno do "binge drinking" deve-se ao fato de as bebidas alcoólicas estarem "mais acessíveis" para a compra por consumidores jovens, indica o relatório.

Além disso, "produtos alcoólicos especificamente concebidos e comercializados para agradar aos jovens bebedores podem contribuir para mudar a atitude dos jovens vis-à-vis ao álcool", observa a OCDE.

Através de publicidade direcionada aos jovens, esses produtos acabam sendo associados à festa, música, sedução e até mesmo a esportes.

"As tendências entre os jovens são um grande problema a partir de um ponto de vista social e da saúde pública", considera a OCDE. Este consumo excessivo está associado ao aumento do risco de acidentes rodoviários, em particular, e as causas de hospitalizações. Nos Estados Unidos, por exemplo, as hospitalizações por coma alcoólico entre jovens com 18/24 anos aumentaram em 25% entre 1999 e 2008.

Para Stefano Scarpetta, é preciso atacar este fenômeno por meio de uma combinação de políticas gerais contra o alcoolismo e políticas orientadas para os jovens. Como medidas possíveis, Scarpetta cita a limitação da publicidade sobre o álcool, a redução dos níveis de álcool no sangue permitido aos condutores e taxas fiscais adicionais.

Getty Images

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Redação
Redação
AFP
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Mulher - Moda
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Redação
Redação
Moda
Redação
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Redação
Redação
do UOL
UOL Estilo
Estilo
Redação
Redação
do UOL
Redação
Redação
Redação
Redação
Redação
do UOL
Topo