Gravidez e filhos

Chás de calcinha e cueca para comemorar desfralde

iStock
Dicas para o desfralde Imagem: iStock

Júlia Marques

São Paulo

05/11/2017 09h11

Quando Valentina, de 2 anos e 11 meses, deixou de usar fraldas, a família fez festa - com direito a bolo, docinho e decoração. O chá de calcinha - ou de cueca -, como é conhecida a celebração do desfralde, virou moda entre mães que não querem deixar passar em branco o momento, um marco no desenvolvimento da criança. Em geral, a comemoração é íntima e reúne poucos convidados. Para especialistas, a festa pode ser um incentivo desde que não seja mais um motivo de pressão.

Veja também

"O pessoal levou calcinhas de presente para ela e, até na hora do parabéns, cantamos uma música diferente, que dizia que ela já é uma mocinha", conta a professora Marcela Scatigno, de 32 anos, mãe de Valentina. A festinha da menina, no início de setembro, veio após longo processo de desfralde, que começou em janeiro, com recaídas.

"Como ela gosta muito do parabéns e de soprar velas, veio a ideia. Falei: 'Se você continuar assim (sem fazer xixi na roupa), a mamãe vai comprar um bolo, vai ter parabéns e docinho. Isso começou a empolgá-la." Por 15 dias, Marcela lembrou a filha da promessa e, nesse período, a criança avisou todas as vezes quando queria ir ao banheiro.

O chá de calcinha da menina reuniu os avós, uma vizinha e um casal de amigos dos pais. "Minha mãe achou bobagem. Ela diz que não tem mais o que inventar. Mas é uma conquista para a Valentina", diz Marcela. Hoje, os escapes são raros.

Quem também se rendeu à festinha foi a família da Ayla, de 2 anos e 1 mês. "Eu tentei (desfraldar) uma vez uns três meses antes, mas vi que ela não estava entendendo", afirma Fabiola Cordeiro, de 33 anos. "A moça que toma conta dela foi quem sugeriu. E, juntas, começamos o desfralde. Porque não adiantaria nada uma começar e a outra não dar continuidade", explica Fabiola, que trabalha na secretaria de uma escola. Na comemoração, tios e padrinhos marcaram presença. "Ela ficava dando tchau toda hora que via as fraldinhas coladas na parede."

Incentivo

Para Alexia, de 2 anos e 7 meses, a festa foi um incentivo a mais. "Na hora em que ela viu aquele tanto de calcinha, ficou louca. Queria colocar uma por cima da outra. A partir dali, ficou mais segura e entusiasmada. E, no dia seguinte, já queria tomar banho para colocar uma calcinha nova", lembra a mãe Samantha Mezacasa, de 27 anos, que também comemorou o desfralde em outubro.

Samantha esperou a menina dar sinais. "Quando fazia cocô na fralda, ficava agoniada, pedia para tirar e chorava". Samantha, então, ofereceu o penico e adaptou o assento do vaso. Não demorou para que Alexia aprendesse a ir ao banheiro. Mesmo assim, foi preciso paciência. "Toda vez que 'errava', eu agachava, olhava nos olhos, e explicava que tinha de usar o penico."

Por causa da dificuldade há dois anos com o desfralde da filha - Manuela, de 4 anos -, Andressa Bristotti, de 34 anos, investiu em informação e produtos para ajudar outros pais. Hoje, ela tem uma loja online com objetos relacionados ao desfralde, como mictórios infantis, calcinhas de transição e até livros sobre o tema. "Temos de falar com pais e mães sobre isso porque é muito solitário", conta ela.

Hora Certa

A médica Marisa Aprile, da Sociedade de Pediatria de São Paulo, destaca que o desfralde é um momento importante, mas a família deve cuidar para que a festinha não saia da intimidade. "Fico imaginando se um amiguinho (da criança) vai à festinha e ainda está havendo escapes."

A pediatra afirma também que é fundamental que as famílias não apressem o desfralde. "Antes a gente falava que a partir de um ano e meio os pais podiam começar a treinar. Hoje, não. Essa questão depende da maturidade da criança e a gente percebe que é sempre depois de 2 anos. Se for muito antes, leva a uma situação contrária", afirma Marisa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo