Gravidez e filhos

Revista americana causa polêmica ao retratar mãe amamentando filho de três anos

AP/BBC
Time mostra mãe amamentando filho de três anos Imagem: AP/BBC

11/05/2012 15h45

Foi revelada nesta quinta-feira a próxima capa da revista americana Time, em que uma jovem mulher aparece amamentando seu filho de três anos, com a manchete "Você é mãe o suficiente?", e que causou grande polêmica nos Estados Unidos.

A modelo fotografada é uma mãe de verdade que aparece fazendo algo rotineiro com seu filho: a alimentação de acordo com o conceito da "criança com apego", segundo o qual a criança que cria fortes laços emocionais já na infância terá mais facilidade em desenvolver relações seguras e estáveis na vida adulta. Mas para a sociedade americana, o assunto continua sendo um tabu.

Para Nancy Morbacher, da organização Breastfeeding USA (Aleitamento Materno EUA, em tradução livre), que incentiva a prática, a intenção do fotógrafo era fomentar a discussão através de uma imagem polêmica.

"O fotógrafo mesmo disse que seu objetivo era fazer uma imagem que fosse controversa ou polarizante e creio que ele conseguiu, porque nos Estados Unidos é incomum ver uma criança dessa idade sendo amamentada", afirmou.

"Isso deve provocar muitas opiniões conflitantes. Alguns dirão que está certo, outros que não concordam, mas é bom que se discuta. Creio ser interessante o que disse a modelo da foto: sua meta era mostrar que isso é normal e que queria ilustrar a prática com sua própria experiência, incluindo nesta idade, algo que em outros países não causaria polêmica alguma", acrescentou a especialista.

Atraso
Organizações como a Breastfeeding USA recomendam a todas as mães que amamentem seus filhos e promovam esta prática como uma normal cultural e biológica.
Mas o que causou, de fato, revolta entre as alas mais conservadoras da sociedade americana, foi a idade do menino que aparece na capa da Time e nas fotos da reportagem, em que a criança mais velha a ser amamentada no peito da mãe tem seis anos.

A polêmica lançada pela revista levou muitos americanos a se questionarem sobre a idade máxima recomendada para o aleitamento materno.
"Nenhuma organização de incentivo à amamentação recomenda uma idade máxima", disse Morbacher, acrescentando que a "American Academy Pediatric recomenda um período mínimo de um ano e um máximo de tanto como mãe e filho desejarem".

Ela disse ainda que a "Organização Mundial da Saúde recomenda um mínimo de dois anos e deixa claro que ninguém estipula um tempo máximo, porque enquanto se mantém amamentado, o bebê será mais saudável, sofrerá menos doenças e há taxa de mortalidade menor entre os que são amamentados, independente da idade".

Na verdade há muitas sociedades no resto do mundo em que a capa da Time não causaria tanto impacto, já que muitas crianças nestas culturas são amamentadas pelas mães até os quatro anos.

"Em algumas culturas o período é até maior. Por exemplo, para os inuits – ou esquimós - sete anos é normal. No Japão são cinco anos, e até mesmo na Holanda é normal amamentar as crianças por dois ou três anos. É um assunto cultural, e, como é de costume ocorrer, os EUA estão um pouco atrasados em relação ao resto do mundo".

Saiba como é o desenvolvimento do bebê até os dois anos

  • Arte UOL

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo