Gestação

Aprenda a cuidar dos pés durante a gravidez para evitar dores e desconforto

Thinkstock
Modificações fisiológicas durante a gestação deixam pés mais susceptíveis a ressecamentos e inchaços Imagem: Thinkstock

Simone Sayegh

Do UOL, em São Paulo

24/09/2012 07h10

Os pés podem até ser relegados a segundo plano na correria do dia a dia, mas, quando a mulher está grávida, a falta de cuidados com essa importante parte do corpo pode ocasionar muito desconforto. E as modificações fisiológicas da gestação induzem o aparecimento muito mais frequente de ressecamentos, rachaduras, inchaços e até dores.

Segundo Rosa Maria Neme, membro da equipe médica do Hospital Israelita Albert Einstein e da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, o aumento da produção do hormônio feminino progesterona é o grande responsável pelos inchaços, que acontecem no corpo todo, não só nos pés. "O que ocorre é que a ação da gravidade faz com que pés e mãos sejam os primeiros lugares onde o inchaço se manifesta", explica.

O aumento de peso, natural nessa fase, também aumenta a pressão nos calcanhares, além da compressão das veias na região do abdome, devido ao aumento do útero e do bebê, que dificulta o retorno do sangue das pernas para o coração. De acordo com o dermatologista Adilson Costa, chefe do Serviço de Dermatologia da Pontifícia Universidade Católica de Campinas, toda essa pressão extra faz com que as bordas livres dos pés fiquem mais espessas e comecem a rachar. "A dica é hidratar muito e controlar, na medida do possível, o sobrepeso", explica.

O que evitar

Há diversos hidratantes e esfoliantes para pés e corpo disponíveis no mercado, mas as grávidas devem escolher produtos que não contenham concentrações de ureia acima de 3%. Segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a substância atravessa facilmente a barreira placentária e pode causar danos ao bebê. Além da ureia, a gestante também deve ficar atenta a cremes que contenham lactato de amônio, outra substancia utilizada como coadjuvante na hidratação cutânea.


De acordo com a dermatologista Marcia Donadussi, membro das Academias Brasileira e Americana de Dermatologia, a melhor escolha são hidratantes neutros, com formulação suave. "Os esfoliantes podem ser utilizados semanalmente, mas se os pés estiverem inchados e a pele da região mais sensível, seu uso deve ser bastante cauteloso", recomenda. "Além disso, para evitar frieiras, é importante secar muito bem entre os dedos, já que toda mulher grávida é mais susceptível aos fungos."

Além do uso diário de cremes umectantes, as massagens nas pernas e pés são sempre bem-vindas. Marcia recomenda banhos de imersão com sais que ajudam a diminuir o desconforto causado pelo inchaço. A velha dica de erguer as pernas sempre que possível também é muito útil, além do uso de meias elásticas apropriadas. "Ficar muito tempo sentada ou em pé dificulta a circulação sanguínea, o ideal é alternar com exercícios leves ou pequenas caminhadas", recomenda Marcia.  

A escolha do sapato ideal também é fundamental. Rosa Maria sugere o uso de calçados baixos, mas que tenham saltos grossos, de cerca de três centímetros. Essa inclinação dos pés favorece a estabilidade na coluna lombar e oferece menos risco de desequilíbrios e quedas. "A longo prazo, os saltos muito altos ou muito baixos podem gerar dor lombar na gravidez."

Com relação à alimentação, as gestantes devem ter cuidado redobrado. Um simples salgadinho de pacote pode significar retenção de líquido e inchaço, em consequência do excesso de sódio. Uma alimentação equilibrada, como sempre, é a melhor recomendação. 

Pedicure

Não é porque a mulher está grávida que ela deve abandonar hábitos comuns de beleza, como tratar e pintar as unhas dos pés. Visitas à pedicure podem ser mantidas na gestação e todos os esmaltes estão liberados. Mas é importante lembrar que o uso de material esterilizado é uma importante questão de saúde.

"A mulher que está grávida deve evitar contaminação tanto por fungos como por vírus”, explica Marcia. Para a médica, a gestante deveria evitar o hábito comum entre as brasileiras de retirar as cutículas, já que essa pele forma uma verdadeira barreira contra a penetração dos agentes infecciosos. Além disso, o corte quadrado das unhas também diminui as chances de encravarem e infeccionarem.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Comportamento
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Topo