Infância

Monte uma agenda de atividades para a babá fazer com seu filho

Thinkstock
Cantar e dançar são atividades que a babá pode fazer com as crianças de dois a quatro anos Imagem: Thinkstock

Fabiana Gonçalves*

Do UOL, em São Paulo

26/10/2012 07h14

Por mais que você confie no trabalho que a sua babá faz com seu filho na sua ausência, você já parou para pensar se o tempo dele está sendo bem aproveitado? Ociosa, a criança pode acabar passando muitas horas em frente à TV ou ao computador, quando poderia estar fazendo uma atividade que agregasse algo ao seu desenvolvimento.

"Essas brincadeiras são fundamentais para que as crianças tenham tanto o desenvolvimento motor quanto o cognitivo", afirma Teresa Schoen, psicopedagoga e doutora em ciências pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Uma solução para os pais é montar uma agenda de atividades para que a cuidadora tenha sempre à mão algo para fazer com a criança. "Retirar as crianças de qualquer idade da tela –do computador, da televisão, do tablet ou dos jogos eletrônicos– é de extrema importância para a socialização e traz benefícios imediatos para a saúde, como a prevenção da obesidade", declara Ricardo Barros, coordenador do Grupo de Trabalho Medicina Desportiva em Pediatria, da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria).

Tempo livre
Segundo a psicóloga Flávia Maria de Paula Soares, independentemente da idade, as brincadeiras e os jogos devem entrar na rotina de meninos e meninas sempre como opção, nunca como dever. "As crianças expressam seus interesses. Por isso, as sugestões devem ser de forma espontânea. É bom lembrar que elas têm uma atividade motora intensa e esse tempo delas precisa ser respeitado, pois é uma exploração do espaço e do próprio corpo". Para os menores, é fundamental, ainda, que a programação reserve um tempo para o descanso.

De acordo com a psicopedagoga Teresa, é necessário, também, deixar que a criança brinque a sós, apenas sob a supervisão da babá. "Nesse momento, ela fala sozinha, interage com os brinquedos, o que é essencial para o seu desenvolvimento e para que não cresça dependente dos pais ou de quem cuida dela. Ao conversar com uma boneca, por exemplo, a menina expressa sentimentos, o que dificilmente faria se houvesse um adulto na brincadeira".

Veja sugestões de brincadeiras dadas pelos especialistas ouvidos pelo UOL Gravidez e Filhos de acordo com a idade:

De dois a quatro anos

Música e movimento
Não basta cantar com e para as crianças, é preciso repetir os gestos mencionados nas músicas. Uma boa alternativa é perguntar na escola do seu filho com quais canções ele está brincando lá e comprar os CDs e os DVDs para dar continuidade ao aprendizado em casa. "Se você não souber fazer os movimentos, aprenda com a professora para ensinar para a babá", diz Teresa.

Contar histórias
A psicopedagoga afirma que, nessa faixa etária, é preciso dar preferência para enredos curtos para prender a atenção das crianças. "Em todas as idades, ler é uma atividade interessante. A babá pode ler para a criança ou, se a criança já souber ler, pode revezar a leitura de trechos com ela", afirma Maria Angela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Cultura e Pesquisas do Brincar da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de São Paulo.

Preparar alimentos
A pessoa que cuida do seu filho pode aproveitar o momento no qual for preparar refeições simples –que não envolvam uso de facas nem do fogão–, como lanches e salada de frutas, para pedir a ajuda da criança. "Participando do processo de preparo, ela pode ter a curiosidade de experimentar algo que antes não apreciava", afirma a psicóloga Flávia Maria de Paula Soares.

De cinco a sete anos

Trabalhos manuais
Monte em casa um arsenal de materiais para pintar, desenhar, recortar, colar. Se a babá for habilidosa, fazer dobraduras pode ser uma opção. À medida que a criança domine as formas mais simples, pode se aventurar nas mais complexas. A realização desses trabalhos manuais são fundamentais para o desenvolvimento da coordenação motora fina, de acordo com a psicopedagoga da Unifesp. Outra ideia dada por Maria Angela, da PUC-SP, é recortar e colar figuras e, a partir delas, incentivar a criança a contar uma história.

Faz-de-conta
Brincadeiras como montar uma cabana no meio da sala ou assumir a identidade de um super-herói agradam a maioria das crianças e ajudam a desenvolver a imaginação e a criatividade, segundo Maria Angela.

Atividade física
Se for viável, a babá pode ser a responsável por levar seu filho para praticar algum esporte. A ideia é oferecer oportunidades para que ele exercite habilidades motoras básicas, como corrida, salto, arremesso e chute. "Dentro das modalidades esportivas mais indicadas nessa fase estão natação, corrida, salto, futebol, surfe, capoeira, danças, ginástica rítmica e olímpica", afirma o pediatra Ricardo Barros. Descer para brincar no pátio do prédio também é uma forma de exercício e estimula a socialização, já que a criança faz amigos na vizinhança. 

De 8 a 10 anos

Cuidar de uma horta
O plantio de hortaliças é uma ótima atividade e, ao contrário do que se possa imaginar, não requer uma área grande ou ao ar livre. A horta pode ser feita em vasos em uma área de serviço, por exemplo. "A babá pode fazer a criança participar desde a compra da semente, do adubo e da terra até o plantio das verduras e dos legumes. É muito bom que ela saiba o valor e o trabalho do cultivo de um alimento", diz Teresa Schoen.

Incentivo aos jogos
Brincar de amarelinha, queimada e pular corda são atividades que as crianças podem fazer com outras no playground sob a supervisão à distância da babá, já que nessa fase estão mais independentes. "Também é muito importante que a criança seja motivada a ter atenção seletiva (capacidade do cérebro de selecionar informações seletivas), com o uso de estratégias complexas da memória. Para isso, podem entrar em ação jogos como dama, dados, dominó e baralho", diz o pediatra Ricardo Barros.

*Colaborou Adriana Nogueira

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Revista Ana Maria
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Notícias - Cotidiano
do UOL
UOL Notícias - Cotidiano
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
Disney Babble
BBC
Gravidez e Filhos
Gravidez e Filhos
Folha de S. Paulo
Topo