Adolescência

Mudanças no corpo indicam hora de comprar o primeiro sutiã da menina

Camila Dourado

Do UOL, em Londres

06/08/2013 08h05

O primeiro sutiã continua sendo um acontecimento importante na vida das meninas, marcando a despedida da infância e a entrada na adolescência. A participação dos pais nessa fase, que acontece normalmente entre os dez e os 13 anos, é fundamental para que a garota não só adquira o modelo apropriado como também encontre abertura para falar com os adultos sobre temas pertinentes, como sexualidade.

“Nessa fase, o corpo está mudando, crescendo e os hormônios começam a despertar o corpo e a mente para sensações, olhares e paqueras. É o descobrir da sexualidade”, afirma a psicóloga Arlete Gavranic, coordenadora do curso de pós-graduação em terapia sexual do ISEXP (Instituto Brasileiro de Sexologia e Medicina Psicossomática).

É importante que os pais tratem esse momento da filha como algo especial. Nesse contexto, a escolha do primeiro sutiã deixa de ser uma simples compra e passa a representar um momento de mudanças e de cumplicidade.

Primeiros sinais

“Noto que as meninas têm pedido para comprar a peça antes da hora, sem a necessidade real”, afirma a psicóloga e terapeuta de família Miriam Barros. Para não atropelar o processo, basta notar alguns detalhes do corpo para saber se chegou a hora de adquirir o primeiro sutiã.

“O brotar dos mamilos é uma das primeiras mudanças e um sinal importante para a compra do sutiã. Quando começar a perceber que os mamilos marcam algumas roupas da sua menina, está na hora de lhe presentear com uma peça”, diz a psicóloga Elizabeth Monteiro, autora dos livros “Criando Filhos em Tempos Difíceis” e “Criando Adolescentes em Tempos Difíceis”, ambos da Summus Editorial. Outra transformação aparente no corpo, nessa fase, é o aparecimento de pelos pubianos e nas axilas. 

O momento ideal também pode ser notado pelo comportamento. “Paralelamente às transformações do corpo, mudam os interesses. Elas começam a reparar mais nos meninos e vivem essa dualidade entre ser criança e querer ser mulher”, fala Miriam.

A garota também pode apresentar conflitos em relação ao corpo, com dificuldade de escolher roupas, por exemplo. “Algumas sentem vergonha e acabam escondendo os seios atrás de camisetas largas”, diz Arlete. “Em geral, elas se acham feias e desproporcionais. Costumam sentir vergonha dos mamilos e muitas adquirem uma má postura, encolhendo-se para que eles não fiquem tão evidentes”, afirma Elizabeth.

Outras, menos tímidas, demonstram felicidade por estarem crescendo. “Encaram essa etapa como uma conquista”, diz Arlete. Por isso, é sempre bom lembrar que cada menina terá uma forma diferente de reagir às mudanças, bastando ficar atento a essas transformações para que o assunto seja abordado.

O modelo ideal

É importante que o desenvolvimento seja respeitado lentamente. Isso significa evitar modelos que tendem a modificar a estrutura do corpo, aumentando o tamanho dos seios, por exemplo, ou que pareçam mais eróticos. Apenas para não pular etapas do desenvolvimento da sexualidade.

Mas pode acontecer de a menina querer escolher um desses sutiãs mais parecidos com o que as mulheres adultas usam. “Muitas vezes, por estímulo ao consumo da mídia ou por status, as garotas dão preferência a esses modelos”, afirma Miriam, para que se pareçam (ou se sintam) mais velhas do que são.

Como é uma novidade na vida da garota, os modelos ideais para o início dessa fase são os de algodão e sem bojos. “Eles são confortáveis e devem ser simples”, diz Elizabeth. Se a nova peça do vestuário não marcar sob sua roupa fica mais fácil de a menina se adaptar.
 
De qualquer forma, é importante deixar a pré-adolescente ter a liberdade para escolher sua primeira peça. Caso aconteça de ela escolher modelos mais sexys, vale questionar a escolha. “A mãe pode perguntar por qual razão a filha quer determinado modelo, onde o viu e quem também tem”, diz Miriam.

A partir disso, deve-se orientar sobre as fases naturais do despertar da sexualidade e dizer que o modelo ainda não é apropriado. Mostre que existem muitas peças bonitas para essa idade, que não precisam alterar a forma do corpo.

Conversa sobre sexualidade

Com tantas mudanças, nada mais natural que surjam questionamentos em relação ao corpo, as sensações e ao novo universo que está se iniciando nessa fase da vida. “Quando a menina entra na puberdade, os laços afetivos entre ela e a mãe podem se estreitar, pois o feminino as aproxima”, diz Elizabeth.

Escolher o modelo do primeiro sutiã juntas, então, pode ser algo bastante proveitoso para abrir o diálogo sobre as questões da sexualidade e também para aumentar a cumplicidade. É um ótimo momento para iniciar papos de menstruação, primeira vez, namoro, intimidades e cuidados pessoais. “Além de orientar, tente entender as expectativas da sua pré-adolescente, os medos e as ansiedades que esse período traz”, afirma Arlete.

Assim, é possível dar à jovem as dimensão de gostar de si e do corpo. “Cuidar e respeitar esse corpo é uma relação de amor próprio que todos precisam viver.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

UOL Estilo
do UOL
do UOL
BOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Comportamento
ESPNW
Redação
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
Vya Estelar
do UOL
do UOL
Revista Ana Maria
BBC
UOL Cinema
Folha de S. Paulo
UOL Educação - BBC
do UOL
Folha de S. Paulo
Folha de S. Paulo
Folha de S. Paulo
Disney Babble
BBC
do UOL
Folha de S. Paulo
do UOL
Redação
UOL Notícias - Educação - Enem
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Topo