Gestação

Ministério da Saúde inicia projeto para incentivar o parto normal

Getty Images
Ao propor mudança, o Ministério da Saúde busca reduzir as taxas de cesárea Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

27/03/2015 17h22

Com o objetivo de reduzir a ocorrência de cesarianas desnecessárias, o Ministério da Saúde, a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e o Hospital Israelita Albert Einstein anunciaram, na sexta-feira (27), os 28 hospitais selecionados para participar de projeto de incentivo a parto normal.

O grupo que fará parte do piloto reúne 23 instituições privadas e cinco do SUS (Sistema Único de Saúde). Em maio, os hospitais assinarão os termos de adesão ao projeto e darão início às atividades.

A iniciativa, desenvolvida em parceria com o Institute for Healthcare Improvement (Instituto de Melhoria da Assistência Médica, em livre tradução do inglês), busca identificar modelos inovadores de atenção ao parto, capazes de promover melhor qualidade do cuidado e a segurança da mulher e do bebê.

A estratégia de ação desenvolvida para os participantes do projeto envolve adequação de recursos humanos para a incorporação de equipe multiprofissional nos hospitais e maternidades; capacitação para ampliar a segurança na realização do parto normal; engajamento do corpo clínico, da equipe e das próprias gestantes; e revisão das práticas relacionadas ao atendimento das gestantes e bebês, desde o pré-natal até o pós-parto.

Três propostas de modelos assistenciais alternativos serão apresentadas aos participantes como ponto de partida. Elas foram construídas com base em evidências científicas e em experiências bem-sucedidas desenvolvidas por outras maternidades do país e serão aperfeiçoadas e personalizadas com os hospitais do projeto-piloto.

No primeiro modelo, o parto é realizado pelo plantonista do hospital. O segundo propõe que o parto seja feito pelo médico do pré-natal, com suporte da equipe multidisciplinar de plantão, que irá fazer o acompanhamento inicial da parturiente até a chegada do especialista. No terceiro modelo, o nascimento é assistido por um dos membros de uma equipe de profissionais, composta por três ou mais médicos e enfermeiras obstetras.

Além disso, estão previstas outras ações complementares, como adequações na estrutura da maternidade, estímulo à participação de acompanhantes, visitas guiadas ao hospital, cursos de gestantes e avaliação da experiência do cuidado no pós-parto pelas mulheres.

Ao propor uma mudança no modelo de atenção ao parto, o Ministério da Saúde e a ANS buscam reduzir as altas taxas de cesáreas verificadas no país –84% na saúde suplementar e 40% no sistema público–, promover o parto normal, qualificar os serviços de assistência no pré-parto, parto e pós-parto.

Em experiências pontuais já realizadas no Brasil, a aplicação da metodologia do Institute for Healthcare Improvement obteve resultados positivos: o percentual de partos normais mais do que dobrou, as admissões em UTI neonatal caíram e houve melhoria da remuneração dos profissionais que contribuíram para aumentar a eficiência dos serviços.

Hospitais privados que participarão do projeto

  • Centro Hospitalar Unimed Joinville

    Joinville (SC)

  • Hospital Moinhos de Vento

    Porto Alegre (RS)

  • Hospital da Mulher e Maternidade Nossa Senhora de Fátima

    Curitiba (PR)

  • Hospital da Luz Azevedo Macedo

    São Paulo (SP)

  • Hospital Sepaco

    São Paulo (SP)

  • Hospital Nipo Brasileiro

    São Paulo (SP)

  • Hospital Santa Helena

    São Paulo (SP)

  • Hospital São Lucas de Santos

    Santos (SP)

  • Hospital e Maternidade Brasil

    Santo André (SP)

  • Maternidade Sinhá Junqueira

    Ribeirão Preto (SP)

Fonte: Ministério da Saúde

Hospitais públicos que participarão do projeto

  • Hospital de Clínicas de Uberlândia

    Uberlândia (MG)

  • Hospital Agamenon Magalhães

    Recife (PE)

  • Hospital Cura D'Ars

    Fortaleza (CE)

  • Hospital da Mulher de Fortaleza

    Fortaleza (CE)

  • Hospital Samaritano

    Belém (BA)

Fonte: Ministério da Saúde

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Especiais
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Comportamento
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
Topo