Gravidez e filhos

Sandy diz que, após parto, ficou com espaço na barriga; entenda a diástase

Marcelo Prata/TV Globo
Grávida, Fernanda Gentil entrevistou Sandy no "Esporte Espetacular" Imagem: Marcelo Prata/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

10/08/2015 18h35

 

A cantora Sandy revelou durante uma entrevista no quadro "Mamãe Gentil", do "Esporte Espetacular" (Globo), que sofreu diástase após a gestação do filho, Theo. Segundo o ginecologista e obstetra Sérgio Hecker Luz, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia), a diástase não é uma doença, mas, sim, uma condição fisiológica comum que acontece durante a gestação.

"A diástase é o afastamento dos músculos do abdome. O organismo feminino prepara o corpo para a gestação e o aumento da parede abdominal nesse período faz com que ocorra esse processo de afastamento", explica Luz.

O membro da Febrasgo afirma que essa condição atinge grande parte das mulheres no pós-parto, no entanto, ela nada tem a ver com o tipo de parto realizado. "Esse processo acontece na gestação e não no momento do parto, portanto não importa se foi via cesárea ou normal. A única diferença é que na cesariana (caso de Sandy) o 'buraco' fica acima do umbigo e no parto vaginal perto do púbis", afirma Luz.

O diagnóstico é realizado por meio de um exame físico em que o médico solicita para que a paciente, deitada, se levante sem o auxílio das mãos. Quando ela está com diástase, os médicos observam uma elevação na região central do abdome.

Não é possível prevenir a diástase, no entanto, é possível tratá-la sem intervenções cirúrgicas, como abdominoplastias, que segundo Luz, podem atrapalhar gestações futuras. Mas para isso é preciso dar tempo ao tempo e investir nos exercícios físicos. A própria Sandy tem se exercitado para reverter o quadro. "Estou até agora lutando no abdominal para ver se a barriga volta totalmente ao lugar, porque ficou um espacinho entre o músculo aqui", afirmou a cantora no programa.

"A maioria das diástases fica imperceptível depois de algum tempo e com o auxílio de exercícios para fortalecer a musculatura abdominal, como musculação e pilates. Em média, em torno de um ano, as mães já não observam esse afastamento, no entanto, cada organismo reage de uma maneira", declara o ginecologista.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo