Gravidez e filhos

Por culpa, britânicas que tiveram aborto espontâneo sofrem caladas

Getty Images
Perder o bebê faz mulher se sentir culpada Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

17/11/2015 12h04

 

Uma pesquisa realizada no Reino Unido pela organização filantrópica Tommy’s, que investiga e divulga informações a respeito de problemas relacionados à gravidez --como aborto espontâneo e parto prematuro--, afirma 70% das britânicas que perderam seus bebês se sentem culpadas e fracassadas.

Das 5.500 mulheres entrevistadas pela instituição, 35% disseram estar tão envergonhadas que não conseguem, nem mesmo, falar com o pai da criança sobre o assunto. Já 67% delas não se sentem à vontade para abordar o tema com as melhores amigas.

Segundo a organização, uma em cada quatro gestações no país termina com a perda do bebê e isso não deveria ser mais um tabu. A instituição defende que as mulheres que sofreram um aborto espontâneo passem por uma avaliação o mais cedo possível. A atual recomendação médica no país é apenas encaminhar para ajuda especializada pacientes que sofreram três abortos em sequência.

A diretora-executiva da Tommy’s, Jane Brewin, afirmou ao jornal britânico “Daily Mail” que o medo de que o assunto seja banalizado por aqueles que desconhecem os fatos faz com que muitas mulheres se sintam constrangidas de falar a respeito da perda. Um dos temores é ouvir frases como “aquilo não era ainda um bebê”.

Segundo o NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido), a maioria dos abortos espontâneos não ocorre por responsabilidade das gestantes, mas por complicações genéticas envolvendo o feto.

Em 2016, a Tommy’s irá abir o primeiro centro nacional britânico de pesquisas sobre aborto espontâneo. A instituição acaba de lançar a hashtag #misCOURAGE, uma combinação das palavras inglesas “miscarriage” (aborto espontâneo) e “courage” (coragem), para incentivar pessoas a falarem sobre a perda de bebês.

Para algumas mulheres, como Emma Benjamin, 34 anos, de Hertfordshire, que já perdeu cinco bebês, falar sobre o assunto ajuda a lidar com a perda e a diminuir a culpa, além de permitir que outras mulheres sejam auxiliadas pelo compartilhamento de informações.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo