Gravidez e filhos

Opções saudáveis no almoço das escolas estimulam crianças a comerem melhor

Getty Images
Lei exigiu que alunos selecionassem pelo menos uma porção de frutas e vegetais Imagem: Getty Images

Nicholas Bakalar

Do The New York Times

06/01/2016 18h20

 

Em 2012, entrou em vigor uma lei federal que visava melhorar a qualidade nutricional dos almoços nas escolas americanas. Essa lei parece estar funcionando, segundo um relatório. O Ato Crianças Saudáveis e Alimentadas aumentou a disponibilidade de grãos integrais, vegetais e frutas nas escolas. Também exigiu que os alunos selecionassem pelo menos uma porção de frutas e vegetais a cada refeição.

No decorrer do ano antes de o programa começar, e no ano seguinte, os pesquisadores recolheram dados da seleção de alimentos em três escolas de ensino fundamental e três de ensino médio em distritos urbanos do Estado de Washington, onde pelo menos 54% dos alunos têm direito à alimentação gratuita ou a preços reduzidos. Eles avaliaram mais de 1,7 milhões de refeições servidas. O estudo foi publicado no periódico "JAMA Pediatrics".

Em uma escala de 100 pontos que mede a quantidade dos seis nutrientes essenciais consumidos, os estudantes marcaram uma média de 58,7 antes da nova lei e 75,6 depois, e a quantidade de calorias por peso de comida ingerida diminuiu significativamente. A porcentagem de crianças participando do programa de refeições permaneceu o mesmo.

“Isso mostra que a lei está funcionando. Melhorou a qualidade das refeições servidas para milhões de crianças todos os dias. Os distritos podem seguir a lei, e as crianças aceitam. E estão mais saudáveis por causa disso”, afirma a principal autora, Donna B. Johnson, professora da Escola de Saúde Pública da Universidade de Washington.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
Topo