Gravidez e filhos

Empresa australiana paga mais a funcionárias se maridos cuidarem dos filhos

Aurizon/Divulgação
Josie e o marido, Travis, pais de Dash, foram beneficiados pelo programa imagem: Aurizon/Divulgação

Do UOL, em São Paulo

A empresa australiana Aurizon, especializada em engenharia e construção ferroviária, criou um novo programa que oferece às funcionárias seis meses ganhando 150% do salário se seus maridos ficarem em casa cuidando dos filhos. As informações são do jornal britânico “Daily Mail”.

Já os funcionários do sexo masculino passam a ter direito a seis meses de licença, ganhando metade do salário, se desejarem ficar em casa com os filhos pequenos.

Os benefícios se aplicam às mulheres que voltarem ao trabalho durante o primeiro ano de vida do bebê e aos homens que se dedicarem a cuidar das crianças por, pelo menos, 13 semanas, durante o mesmo período.

Lance Hockridge, CEO da Aurizon, disse à reportagem que o objetivo do programa é diminuir o impacto econômico e na carreira que as mulheres enfrentam por conta da maternidade. Os benefícios também se aplicam a casais do mesmo sexo e aos que optarem pela adoção.

Segundo o executivo, é a primeira vez que uma empresa australiana oferece um pacote de benefícios com essas características, com foco na diversidade. “Estamos muito orgulhosos por dar o exemplo, mudando a maneira como nossa sociedade enxerga o cuidado dos filhos e estimulando a flexibilidade das empresas.”

O programa foi criado a partir das sugestões das próprias funcionárias da empresa.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 
Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Topo