Gestação

Com humor e sem tabu, canal no Youtube "desromantiza" a maternidade

Thamires Andrade

Do UOL, em São Paulo

27/07/2016 07h05

TV liberada só depois dos oito anos de idade. Alimentação tão saudável a ponto de deixar Bela Gil com inveja. Essas eram algumas das expectativas que Helen Ramos tinha da maternidade antes de dar à luz o filho Caetano, hoje com dois anos e meio. Só que a realidade --como todo mundo que tem filhos pequenos sabe-- é bem diferente daquela idealizada. E foi exatamente para "desromantizar" a maternidade que a jornalista lançou o canal "Hel Mother" no YouTube.

"Sempre quis ser mãe, mas achava que só rolaria quando estivesse mais estável e bem-sucedida. Engravidei inesperadamente aos 25 anos e abracei a ideia. Tive o apoio da minha família, mas eles moravam em Brasília e eu em São Paulo. Achava que ia dar conta de cuidar dele sozinha aqui, mas não dei e precisei voltar pra Brasília e esperar ele ficar um pouquinho maior", relembra.

Para Helen, a idealização da maternidade promove uma falta de diálogo que deixa as mães perdidas. "Quando comecei a entrar em grupos de mães ainda era julgada, custei para encontrar um em que as pessoas se compreendessem. Quando você chega em um grupo e vê que aquela determinada situação acontece com outra pessoa, que é normal, você se sente acolhida, se identifica. Você vê que ser mãe é ter falhas, dúvidas, cansaço, é precisar pedir ajuda", afirma a youtuber.

Estúdio Cajuína/Divulgação
Helen criou o canal para mostrar o mundo materno com altas doses de humor Imagem: Estúdio Cajuína/Divulgação

A jornalista acredita, inclusive, que a sociedade falha muito com as mães nos mais diversos aspectos,  responsabilizando-as sempre. "Várias vezes já li material de psicólogas renomadas culpando as mães por tudo. É preciso ter um senso crítico muito grande para ler, filtrar e continuar bem consigo mesma como mãe", exemplifica.

A ideia do "Hel Mother", segundo Helen, é mostrar o mundo materno com altas doses de humor. O canal já está no ar há mais de dois meses e é feito por ela e mais três amigas: Mariana Lerroy, Carla Ribeiro e Mariana Betoni, que insistiram e deram o pontapé inicial para que Helen gravasse e compartilhasse suas opiniões. "Os vídeos chegam mais rápido às pessoas e todo mundo compartilha, manda por WhatsApp e, assim, as mães e a sociedade como um todo se sentem abraçados e acolhidos."

Um dos vídeos mais acessados do canal, "Expectativa X Realidade", trata exatamente de como Helen achou que seria a maternidade e depois como esta se mostrou para ela. Outro vídeo que também fez sucesso foi o "Mãe Solo" em que a youtuber propõe excluir o termo "mãe solteira" --afinal, desde quando mãe é estado civil?

"Se eu conseguir provocar um questionamento, nem que a pessoa não concorde, só de a fazer parar para pensar, já fico feliz, pois é muita coisa enraizada na nossa cultura. 'O pai ajuda'. 'A mãe solteira'. Às vezes nem acho que as pessoas falem por maldade, mas são comportamentos que elas repetem e não se questionam sobre o porquê daquilo", afirma.

O retorno mais gratificante para Helen são as mensagens e e-mails que recebe dos expectadores do canal. "Tem muita gente que reflete e fala 'poxa, eu realmente parei de chamar a minha amiga que foi mãe para sair, vou voltar a fazer isso', mas também ainda tem muitos casos de mãe solo com problema de pensão. As mulheres ainda têm medo de entrar na justiça e pedir por esse direito, pois acham que é esmola", afirma.

Outro questionamento de Helen que já virou tema de vídeo é a necessidade de trabalhar e, ao mesmo tempo, educar e conviver com o filho. "A longo prazo essa carga horário de oito horas, que acabam virando 12, não é benéfica para ninguém. Não são só as mães que precisam ter licença para cuidar dos filhos, os pais também. É preciso mudar a estrutura trabalhista. Quando você tem um filho, você começa a perceber que vai ficar dez horas fora de casa e quanto tempo ficará junto com ele? Educando e formando o caráter do cidadão de amanhã... Que horas faremos isso? Só no fim de semana?", questiona.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Blog Lado B
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
Blog Lado B
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Especiais
do UOL
do UOL
UOL Estilo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo