Infância

Que tal não transformar o presente da criança em problema para os pais?

Getty Images
Antes de comprar um presente barulhento ou grande demais, consulte os pais da criança Imagem: Getty Images

Beatriz Vichessi

Colaboração para o UOL

Natal, aniversário, Dia da Criança. Enquanto a garotada fica animada com a chance de ganhar brinquedos, muitos pais suam frio porque sabem que alguns dos presentes vão causar inconvenientes em casa. De que forma quem presenteia e as famílias das crianças podem lidar com essa situação?

Confira o que recomendam Claudia Matarazzo, especialista em etiqueta e comportamento, e Andressa Isola, consultora em serviços voltados para mães e bebês, e sócia do Instituto Mãe, em São Paulo.

A prioridade é a criança

Na opinião de Claudia, quem vai comprar um presente deve, primeiramente, considerar opções das quais a criança gosta, o perfil e a personalidade dela. “É evidente que é importante pensar no estilo de vida da família também, mas depois que o presente é entregue, cabe aos pais administrar o uso”, diz ela.

Ainda segundo Claudia, caso as pessoas se sintam à vontade ou tenham intimidade com a família, podem consultar os pais da criança antes da compra --e, feito isso, devem respeitar a resposta dada por eles.

No caso de presentes dados sem consulta prévia, nada de devolvê-los. “O recomendável é passar o item para frente, dando para alguém ou trocando por outra coisa. Mas entregá-lo de volta para quem deu, jamais”, fala Claudia.

Consultar os pais no caso de brinquedos polêmicos

Segundo Andressa, quanto maior a criança, mais importante é conversar com os pais --jamais na frente dela, é claro-- antes de comprar um brinquedo que possa causar transtorno para a família.

Isso quer dizer que itens grandes demais ou barulhentos, principalmente, devem passar pelo aval dos responsáveis, antes de serem comprados. “Evidentemente, se alguém quiser muito agradar à criança com determinado presente, pode comprar e deixá-lo na própria casa, permitindo que ela brinque lá”, diz a consultora.

Tratando-se de bebês e crianças pequenas, Andressa concorda com Claudia. Cabe aos pais administrar o uso, pois é mais fácil controlar os filhos e o acesso aos brinquedos, escolhendo quando e onde permitir brincadeiras com massinha, tinta e objetos sonoros.

Frente a um presente que não agradou aos pais por algum motivo, Andressa recomenda sinceridade com quem deu o item. “É preciso ser delicado e pedir para trocar por algo semelhante, mas menor ou que não faça barulho, por exemplo, ou por qualquer outra coisa que faça sucesso com a criança tanto quanto o presente.”

Animais de estimação merecem consulta prévia

Tanto Claudia quanto Andressa afirmam que animais de estimação não devem ser dados como presentes. Se o gesto de quem for presentear estiver movido pela certeza de agradar à criança, é imprescindível consultar os pais antes.

Um bicho provoca um significativo impacto na vida da família, podendo causar sérios transtornos e se tornar um problemão para os donos da casa. Se ele for entregue sem consulta prévia, Claudia recomenda, mais uma vez, não devolver o presente. “Dê para outra pessoa, mas não devolva”, diz a especialista em etiqueta, lembrando de a pessoa procurar por alguém que possa acolher bem o animal.

Andressa também alerta para outro tipo de presente que precisa ser conversado antes com os pais: comida. “Há crianças com intolerância à lactose, alérgicas a glúten, e pais que só liberam doces depois de certa idade, fins de semana ou datas específicas e ainda aqueles que são restritivos a certos itens, como balas e pirulitos”, conta.

Por isso, nesses casos, melhor não provocar nenhuma saia-justa e deixar a criança passando vontade porque quer ficar com o presente, que fatalmente será recusado na hora pelos pais ou confiscado por eles depois.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Revista Ana Maria
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Notícias - Cotidiano
do UOL
UOL Notícias - Cotidiano
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
Disney Babble
BBC
Gravidez e Filhos
Gravidez e Filhos
Folha de S. Paulo
do UOL
Gravidez e Filhos
Gravidez e Filhos
do UOL
Ana Maria
Gravidez e Filhos
do UOL
It Mãe
Vya Estelar
UOL Notícias - Educação - Redação
BBC
Público
Revista Ana Maria
Disney Babble
do UOL
BBC
Topo