Bebês

"Não importa o que façamos, alguém sempre nos julgará", diz Fê Machado

Reprodução/Instagram/realfemachado
Fernanda Machado posa com o filho, Lucca, de um ano e sete meses Imagem: Reprodução/Instagram/realfemachado

Thamires Andrade

Do UOL

03/02/2017 04h00

Alvo de críticas na semana passada por deixar o filho Lucca dormindo sozinho no berço, a atriz Fernanda Machado falou ao UOL sobre a carga de julgamentos que todas as mães são submetidas diariamente. “Toda mãe já foi julgada em algum momento. Infelizmente, isso acontece com muita facilidade. Não importa o que a gente faça, sempre terá alguém para discordar, para dizer que não está certo, que sabe um jeito melhor", afirmou, em entrevista por e-mail.

Referência por seu blog, perfil no Instagram e canal no YouTube, a atriz conta que muitas mulheres dividem suas histórias e experiências com ela. “É unânime: todas já foram julgadas por suas atitudes. E o pior é que isso vem de todos os lados. Muitas me contam que são criticadas até por desconhecidos na rua, por pessoas da família ou outras mães”, afirma.

No caso de Fernanda, por ser uma pessoa pública, ela acredita que muita gente a julga nas redes sociais para aparecer. “A pessoa ataca para gerar polêmica e ter mais fluxo de pessoas visitando seu perfil”, acredita.

Ela conta que foi exatamente que aconteceu nesse último episódio, quando a atriz postou um vídeo de seu filho dormindo em pé no berço e foi acusada de “torturar” a criança. “A pessoa foi superagressiva, xingou e me atacou por algo totalmente sem fundamento. Várias pessoas viram aquilo, acharam um absurdo e começaram a me defender. De repente, o nome da agressora já tinha sido citado nos comentários mais de 200 vezes e ela conseguiu o que queria: chamar atenção.”

A dica da atriz para lidar com isso? Não dar importância e relevar. “Se tivesse escolhido compartilhar a cama com o bebê, provavelmente, teria sido julgada, também. Só quero o melhor para o meu filho. O bem-estar dele é a única coisa que importa para mim. Sei que ele é muito amado. Se ele está feliz, eu estou feliz e em paz. O resto é bobagem!”

A seguir, Fernanda comenta quatro julgamentos que vivenciou desde que virou mãe:

1º julgamento: opção pelo parto natural

Escolher o parto natural para dar à luz foi o primeiro momento em que Fernanda foi criticada como mãe. “Muita gente me chamou de doida por isso, mas as escolhas de uma mãe são sempre muito pessoais, não existe um manual, uma fórmula, uma cartilha.”

A atriz já fez vários vídeos contando como ela desistiu da cesárea e perdeu o medo do parto natural. “Muita gente me escreve dizendo que mudou de ideia em relação ao parto normal depois de assistir aos meus vídeos. Fico feliz por isso. Mas deixo bem claro que não tenho nada contra a cesárea, que, em muitos casos, é a única solução e salva vidas. Ninguém é menos mãe ou ama menos um filho por ter feito cesárea ou não ter amamentado. Nasci de cesárea e minha mãe não conseguiu amamentar por muito tempo, e, para mim, ela é a melhor mãe do mundo.”

Getty Images

2º julgamento: amamentação

Ainda que os benefícios da amamentação sejam amplamente difundidos, o fato de amamentar os filhos por mais tempo do que o comum gera estranheza. Fernanda continua amamentando Lucca (de um ano e sete meses), e não se incomoda com as opiniões alheias. "Faço vista grossa, finjo que não ouvi, não dou bola. A recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) é que a amamentação siga até pelo menos os dois anos de idade da criança. Estou feliz amamentando, meu filho está feliz mamando no peito. Então, está tudo certo.”

3º julgamento: cama compartilhada

Alvo de críticas por deixar o filho dormir sozinho em seu quarto, a atriz afirma que acha linda a prática da cama compartilhada “Queria muito fazer, mas o Lucca chegou e eu não conseguia relaxar com ele na cama. Meu medo de cair no sono e sufocá-lo era tão grande que não me deixava desligar e dormir”, relembra.

E não é só porque a cama compartilhada não funciona para ela e o filho que ela critica a prática por aí. “Esse método funciona para muita gente. Mas também não acredito que seja errado ensinar o bebê a dormir no berço", diz.

4º julgamento: deixar a carreira em segundo plano

Outro julgamento muito forte é o que recai sobre as mulheres que decidem deixar a carreira para se dedicarem aos filhos em tempo integral. Fernanda destaca que há quem admire a decisão que ela tomou, enquanto outros acham loucura.

“Não foi uma decisão racional, foi acontecendo aos poucos. Os trabalhos foram aparecendo depois que Lucca nasceu e o meu coração foi me pedindo para estar perto do meu filho. Foi uma escolha muito emocional. Não é fácil negar os trabalhos, mas minha vontade de estar perto dele nesse começo de vida é maior do que tudo”, explica.

A atriz afirma que, normalmente, as mães entendem essa decisão. “Admiro demais as que sentem o mesmo que eu sinto, mas não têm essa opção e precisam voltar ao trabalho, com seus corações apertados. Quem é mãe, normalmente, entende muito bem a minha escolha".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estadão Conteúdo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
ItMãe
Topo