Gestação

Aos 40, Karina Bacchi anuncia bebê via fertilização independente; entenda

Reprodução/Instagram
A atriz e apresentadora Karina Bacchi, que está grávida de 13 semanas Imagem: Reprodução/Instagram

Adriana Nogueira

Do UOL

Karina Bacchi, 40 anos, anunciou nesta quinta-feira (9), em seu Instagram, que está grávida de 13 semanas, em uma “produção independente”. A atriz e apresentadora disse em entrevista à revista Contigo! que engravidou após uma FIV (Fertilização in Vitro) por meio de um doador de sêmen internacional. O recurso, no entanto, está ao alcance de quem mora no país.

Apesar de ainda poucos, o Brasil tem bancos de sêmen, para os quais a mulher interessada em engravidar pode recorrer. O mecanismo é simples: a pessoa escolhe em um catálogo o homem por meio de características físicas –cor da pele e altura— e tem acesso a algumas informações pessoais, como profissão, mas não fica sabendo nem o nome nem os dados de contato do indivíduo.

“A amostra –suficiente para apenas uma tentativa de inseminação artificial ou FIV (entenda abaixo as diferenças)— custa entre R$ 2.500 a R$ 5.000, dependendo se é de origem nacional ou importada”, afirma o ginecologista e obstetra Arnaldo Schizzi Cambiaghi, especialista em reprodução humana e diretor do IPGO (Instituto Paulista de Ginecologia Obstetrícia e Medicina da Reprodução).

Segundo Cambiaghi, para fazer parte do banco de sêmen, os doadores passam por uma bateria de exames para garantir que são saudáveis.

Escolhido o doador, a mulher tem dois caminhos para engravidar: a inseminação artificial ou a FIV, escolhida por Karina Bacchi.

Na primeira, o sêmen do doador é introduzido na mulher no período da ovulação. Na segunda, os óvulos da mulher são retirados por meio de um processo chamado aspiração e juntados aos espermatozoides em laboratório. Depois, o embrião ou os embriões são implantados no útero. Antes de ambos os procedimentos, a mulher passa por um tratamento de estimulação ovariana, para aumentar a produção de óvulos.

O especialista em reprodução humana afirma que, em mulheres de 40 anos, podem ser implantados até três embriões a cada tentativa de engravidar.

“A fertilização in vitro tem taxa de sucesso três vezes maior do que a inseminação. Além disso, a indicação para a realização de inseminação ou de FIV depende das condições da mulher. Se ela tem problema nas trompas ou endometriose, o método mais indicado é a fertilização”, diz Cambiaghi.

Em seu post no Instagram, Karina contou que se submeteu a uma cirurgia para retirada das trompas, daí a razão de ter feito uma FIV.

Além do índice de sucesso, o que difere a inseminação da FIV é o preço. Cada tentativa da primeira custa de R$ 5.000 a R$ 8.000. A da segunda de R$ 18 mil a R$ 25 mil. Nas duas modalidades, o valor já inclui os medicamentos necessários para estimulação ovariana.

Depois de feita a inseminação ou a FIV, o acompanhamento da gravidez segue normal, com qualquer outra gestação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Folha de S. Paulo
BBC
Folha de S. Paulo
BBC
do UOL
Maternar
It Mãe
Guia do Bebê
AFP
Guia do Bebê
BBC
do UOL
Folha de S. Paulo
Me Poupe
Maternar
Disney Babble
Opera Mundi
do UOL
Gizmodo
Viagem
do UOL
BBC
Topo