Bebês

Após 3 anos dormindo 2 h por noite, mãe procura escola de sono para filhas

Reprodução/Mummy Stylin
A australiana Skye com as filhas Amaya e Isla (no colo) Imagem: Reprodução/Mummy Stylin

Do UOL

15/02/2017 09h57

Desde que teve a primeira filha, Amaya, hoje com três anos, Skye Tokhi, de Melbourne, na Austrália, viu suas noites de sono minguarem, levantando da cama várias vezes por noite para atender a menina que chorava. A despeito do problema, ela resolveu ter a segunda filha, Isla, hoje com nove meses.

A caçula recebeu esse nome para trazer noites tranquilas para a família. Em indiano, língua da família do pai das meninas, Isla significa luar. Mas a situação só piorou, pois a bebê também tinha dificuldade para dormir.

Skye e o marido passaram a dormir apenas de uma a duas horas por noite. “Andava envolta em uma neblina o dia inteiro”, contou a mãe para a edição australiana do jornal “Daily Mail”.

“Você desenvolve uma ansiedade sobre a hora de dormir porque antecipa que a criança vai acordar de novo e de novo”, completou ela. Ela tentou ler livros sobre o assunto, aconselhar-se com a família e amigos, mas nada deu certo. À beira da exaustão, ela resolveu procurar ajuda especializada.

Skye matriculou a si e à filha caçula na escola do sono do Mitcham Private Hospital, um programa de quatro noites de observação e orientação. No hospital, ela recebeu informações sobre como funciona biologicamente o processo de dormir, passou por consultas com clínicos gerais e psicólogos e teve o apoio de outras famílias que passam pelo mesmo problema.

O resultado é que Isla hoje dorme 11 horas por noite. Com o que aprendeu, a mãe conseguiu melhorar o padrão de sono da filha mais velha, que já emenda períodos mais longos de descanso. “É o céu, não consigo parar de sorrir.”

Para o “Daily Mail”, Skye falou que as mães não devem ter vergonha de pedir ajudar. “Há muitas de nós lidando com a privação do sono, o que é uma tortura.”

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
UOL Estilo
UOL Estilo
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Estadão Conteúdo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
ItMãe
Topo