Gravidez e filhos

Seu filho pequeno fala palavrão? Castigo não resolve, veja como agir

iStock
Imagem: iStock

Patricia Guimarães

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/06/2017 04h00

Os palavrões podem aparecer no vocabulário das crianças à medida que elas passam a desenvolver melhor a fala. Isso significa que um xingamento pode ser dito por elas até mesmo quando elas são bem pequenininhas, com 3 ou 4 anos, e nem sabem o que estão falando. Veja cinco dicas para lidar com a situação e evitar que se torne um problema:

Seja o bom exemplo

Para a pedagoga Luzia Lima, que trabalha há 25 anos com educação infantil, deve-se prestar atenção sempre que a criança começa a falar palavrões. "Se a gente perceber que a criança xinga em uma disputa de brinquedo, mesmo não sabendo o que aquilo significa realmente, ela pode estar reproduzindo algo que está vendo", pontua.

Evite rir ou reagir de forma exaltada

"Quando os palavrões são ditos pela criança, há uma reação do adulto que é diferente de quando ela usa outras palavras. E a criança, ao perceber essa reação mais exaltada, ou que o adulto acha graça, tem isso reforçado, o que a faz repetir essas palavras. É preciso encarar a situação com naturalidade, já que é a reação do adulto que vai motivá-la a continuar ou parar", explica a psicóloga e psicanalista Roberta Casare.

Converse com a criança

Estimule a criança a expressar os sentimentos: converse com ela e entenda o que a está desagradando ou fazendo sentir raiva. "Explique que essas são palavras que a gente não usa. Que algumas pessoas podem ficar tristes por causa delas. Cabe aos pais falar sobre os sentimentos negativos: o que é raiva, o que é tristeza, o que é frustração... E tentar ajudar a criança a entendê-los, já que para ela é muito difícil", diz Casare.

Explique que há outras formas de expressar o sentimento

Explique que não se expressa raiva xingando e que há outras palavras. "Se tem uma criança falando um palavrão, a gente ensina que pode resolver de um outro jeito. Quando são casos de conflito, diga que a criança pode falar: 'Eu não estou gostando do que você está fazendo'; 'Espera a sua vez'; 'Depois eu te empresto'", explica a pedagoga Luzia Lima.

Não adianta colocar de castigo

Procure entender as razões que levam o pequeno a xingar, principalmente se os palavrões forem ditos em situações que envolvam agressividade. "É preciso sempre orientar e jamais colocar de castigo, porque só vai piorar", explica Roberta Casare.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Moda
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Beleza e maternidade
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo