Gravidez e filhos

Proteste avalia marcas de babá eletrônica; veja como encontrar a melhor

iStock
Imagem: iStock

Do UOL, em São Paulo

02/08/2017 13h36

Quem tem bebê em casa sabe que as horas de sono dos pais podem melhorar um pouquinho com os aparelhos de babá eletônica, que ajudam a monitorar os pequenos mesmo à distância. Para medir a qualidade desses aparelhos, a Proteste--Associação de Consumidores--testou esses produtos em versões com e sem Wi-Fi.

Das oito marcas, Foscam Fosfobaby e Fisher-Price Bb 301 foram os que tiveram pior desempenho. Já o Motorola MBP622 conquistou a melhor pontuação. E o dispositivo MBP36S, também da Motorola, que vem com um plugue de tomada fora do padrão brasileiro e isso é ilegal, acabou sendo eliminado do teste.

De forma geral, constatou-se que ainda existe uma carência de aparelhos completos. Uma das avaliações foi do manual de instruções, que precisa ser simples e didático além de bem ilustrado.

Falta de apoio

No caso da marca Foscam Fosfobaby, por exemplo, o aplicativo que consta no manual, além de ser o errado, ainda está em inglês, impedindo que o usuário consiga acessar a câmera no celular ou tablet, perdendo tempo e precisando de apoio.

Já o manual é basicamente de instalação e não explica os vários termos ou recursos do app, fazendo com que o consumidor tenha que descobrir conforme usa o dispositivo. O aplicativo do celular ainda não emite nenhum som em caso de perda de sinal com a câmera, um risco se a casa ficar sem internet no meio da noite.

Caso a pessoa atenda a uma ligação, ainda perderá o monitoramento, ou seja, é necessário outro celular só para essa função.

Mais problemas

Outra marca não indicada, a Fisher-Price Bb 301 possui problemas em comum com o modelo da Foscam. Um exemplo é a mesma falta de aviso, em caso de desconexão com a câmera. O manual possui termos confusos e também deixa de incluir explicações sobre recursos e modos de uso, dificultando, ainda mais, a vida dos pais.

O erro mais grave, porém, é o sensor de movimento, que emite um alarme pela câmera - e não pelo receptor (celular ou tablet), como deveria ser. Assim, o bebê pode acordar assustado no meio da noite só por ter virado na cama.

Sigilo zero

Em comum, as duas marcas apresentam a falta de sigilo. Com hackers atuando diariamente em todo o mundo, usar aparelhos com internet requer cuidados, tal como criar uma senha forte e criptografada, com números e símbolos, e alterá-la com frequência. E é necessário que o consumidor tenha muito cuidado para quem dá a senha do Wi-Fi e a do app da babá.

Para uma melhor utilização, é necessário compreender rapidamente o funcionamento desses produtos, e o manual do aparelho precisa ser simples e didático. Por isso, apesar das fotos em preto e branco, o Motorola MBP622 e Multikids Baby BB126 se saíram bem, trazendo informações claras. Por outro lado, o manual da AngelCare é redigido em português de Portugal, o que vai contra o Código de Defesa do Consumidor.

Em contrapartida, a AngelCare foi a que obteve a melhor pontuação no teste de versatilidade, contemplando todos os acessórios e recursos que facilitam o uso, tais como sensor de som, de movimento e localizador do receptor.

Nada remoto

No entanto, foi constatado uma deficiência global entre todas as babás, pois não há um modelo que opere remotamente e que tenha um receptor próprio de imagem e de som específico para o produto, funcionando tanto com quanto sem Wi-Fi.

Excluindo as babás eletrônicas com Wi-Fi, todos os outros produtos possuem boa segurança, já que o alcance restrito de transmissão evita que intrusos consigam ter acesso de longe.

Diante desses resultados, a Proteste constatou que ainda há características que precisam melhorar em todos os aparelhos, como a versatilidade. Mas, apesar das falhas, há babás que cumprem o prometido, como a melhor do teste, Motorola MBP 622, e a escolha certa, Vtech VM311, que está R$ 267 mais em conta do que a primeira opção (comparação dos preços mínimos).

Sem registro

O teste teria mais três modelos: Multikids BB209, Philips In.Sight B120S e Vista Tecnologia Siga-me Baby 4. Contudo, ao verificarem se os registros na embalagem, no produto ou no manual eram válidos na Anatel, constatou-se que eles haviam sido cancelados.

Apesar de poderem ser comercializados, devido a estoques ainda existente no comércio, a Associação não recomenda esses dispositivos. Vale ressaltar ainda que a babá Motorola MBP36S, que foi eliminada deste teste, também teve o registro cancelado.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Gravidez e Filhos
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Redação
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
Topo