Gravidez e filhos

Como é o parto de um bebê que nasce "sentado"? Fotógrafa mostra fotos

Do UOL, em São Paulo

12/09/2017 14h51

Se a época do nascimento chegou e o bebê se manteve "sentado" dentro da barriga, o melhor é partir logo para um parto cesária, certo? Afinal, como a criança poderia nascer por via vaginal se a cabeça não está encaixada na pélvis?

A fotógrafa canadense Karyn Loftesness mostrou que não é bem assim ao publicar em seu blog a história de uma uma cliente, Raychel, que deu à luz o bebê Silas em casa. Até aí, nada demais. O que realmente chamou a atenção nas imagens foi o fato de o bebê ter começado a nascer pelo lado dos pezinhos --a cabeça saiu por último. A situação é chamada de parto pélvico, quando a criança está "sentada" na barriga da mãe, e não com a cabeça encaixada. 

Mas, atenção: um estudo canadense com base em 52.671 partos, publicado no periódico "Obstetrics & Gynecology" em 2015, descobriu que, quando a criança está sentada, a probabilidade de lesões infantis é muito maior no parto normal do que na cesariana.

Entre os casos indicados para a cesárea, eles citam os bebês que não nascem a termo (entre a 39ª e a 41ª semana de gestação), os que estejam com os pés --e não as nádegas-- no canal do parto, além daqueles que apresentam anomalias como a hidrocefalia, que é o aumento anormal do fluido cefalorraquidiano dentro da cavidade craniana.

O nascimento de Silas

Karyn fez um post em seu site contando como foi a experiência da família, que gostou tanto do ensaio fotográfico produzido na ocasião do parto que autorizou a divulgação. Confira!

"Raychel planejava ter seu quarto bebê, Silas, em casa. Apenas quatro dias antes da data prevista, ela descobriu que ele estava na posição pélvica. O Hospital Universitário Oregon Health & Science, próximo à residência da família, tem um programa especializado para partos pélvicos.

Mas Raychel tinha um histórico de partos anteriores muito rápidos e não queria correr o risco de ficar presa em um congestionamento a caminho da maternidade. Felizmente, as parteiras que havia escolhido para acompanhar a gestação eram muito experientes, deixando-a confortável para o parto em casa.

No entanto, o quarto trabalho de parto de Raychel estava demorando mais do que os anteriores para evoluir e as parteiras chegaram cogitar uma ida ao hospital para verificar como o bebê estava. Ela, então, teve uma conversa séria com Silas e disse: 'Você tem que sair agora!'. De forma inexplicável, o bebê pareceu ouvi-la. Em 10 minutos, a dilatação passou de 5cm para total.

As parteiras instruíram que Raychel não fizesse força naquele momento, até que não pudesse mais aguentar as contrações. Ela ficou de joelhos e sua bolsa por fim estourou. As fotos que você vê são fortes, mas educacionais, e nós sentimos fortemente que elas precisam ser compartilhadas para ajudar a divulgar conhecimentos e conscientização sobre a normalidade e a segurança do parto com um profissional qualificado e experiente".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
Topo