Gravidez e filhos

Creche raspa a cabeça de menina birracial sem autorização por "higiene"

Reprodução Facebook/Denise Robinson
Tru teve seus cabelos raspados pela equipe da escola onde estuda sem autorização dos pais Imagem: Reprodução Facebook/Denise Robinson

do UOL, em São Paulo

24/10/2017 15h24

A americana Denise Robinson está processando a creche que cuidava de sua filha, a Little Heroes Group Home, no estado de Massachussetts, por agressão física. De acordo com a mãe, eles rasparam a cabeça de Tru, de 7 anos, sem o consentimento dela.

Veja também

Denise ainda contou à filial da rede de tevê CBS em Boston que a equipe da instituição a informou que o cabelo de sua filha teve que ser cortado por questões de higiene. "Não havia nenhum motivo de higiene para raspar a cabeça da minha filha. Nenhum piolho, percevejo, nem um look Rasta", disse. 

O advogado da família, Richard Kendall, afirmou ainda que um voluntário do salão onde Tru teve os fios cortados disse à menina que, se raspasse a cabeça, seu cabelo cresceria liso. 

À rede de tevê a cabo local NECN, a mãe falou: "Estou muito aborrecida. E não deixarei de estar aborrecida porque sinto que minha filha foi agredida e violada". 

Reprodução Facebook/Denise Robinson
Tru com seus cabelos antes do corte forçado Imagem: Reprodução Facebook/Denise Robinson

Em um comunicado à imprensa americana, a Little Heroes afirma: "Decisões a respeito dos cuidados pessoais são baseadas em uma série de fatores, incluindo higiene. Não podemos dar nenhuma informação sobre um indivíduo que é parte do programa por causa de leis federais e estaduais. Mas uma revisão das circunstâncias [do caso] está em andamento para determinar o que aconteceu e, se necessário, uma atitude apropriada será tomada". 

A Little Heroes é uma creche intensiva para garotos e garotas de idades entre 5 e 11 anos, segundo seu site, com "problemas sociais, emocionais, comportamentais ou de saúde mental". Ela é administrada pelo Justice Resource Institute, uma organização sem fins lucrativos que "oferece serviços ambulatoriais de saúde mental para comunidades carentes". 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
EFE
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo