Gravidez e filhos

Como fazer o bebê dormir? Veja 5 métodos e suas vantagens e desvantagens

Getty Images
Imagem: Getty Images

Bárbara Therrie

Colaboração para o UOL

05/01/2018 04h00

Cada bebê tem um temperamento próprio e necessidades que devem ser respeitadas, começando pelo sono, que é primordial para o desenvolvimento. A pedido do UOL, duas consultoras do sono infantil apresentam 5 métodos para fazer o bebê dormir:

Veja também

Método de carinho 

Esta metodologia de Elizabeth Pantley, autora do livro “Soluções para Noites Sem Choro”, visa a adaptação gradual do bebê. As estratégias baseiam-se em inibir as associações do sono, ou seja, quando a criança associa o sono ao embalo ou à mamada. No caso dos bebês que dormem apenas se forem embalados, a ação deve ser diminuída gradualmente. Já os que têm o hábito de mamar para dormir, a mãe deve retirar gentilmente o mamilo da boca do pequeno quando perceber que ele não está mais mamando com vigor. Não há problema se ele procurar o mamilo e mamar novamente desde que você retire o mamilo quantas vezes forem necessárias para ele entender que não dormirá enquanto mama. Nas duas situações, os pais colocam a criança no berço sonolenta e podem pegá-la no colo se ela chorar.

Vantagens: é considerada uma técnica gentil, carinhosa e suave, pois os cuidadores podem aplicá-la aos poucos, no seu tempo e no do bebê, sem tanta pressão.

Desvantagens: a criança pode demorar bastante tempo para absorver a informação de que o berço é um lugar gostoso para dormir, e não o colo ou o peito.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Método do choro controlado 

Do pediatra Richard Ferber, neste método o bebê é colocado no berço sonolento, ainda acordado. Os cuidadores só voltam ao quarto se ele chorar forte, esperando de dois a três minutos até aparecer novamente e confortá-lo brevemente, sem a intenção de acalmá-lo ou de fazê-lo parar de chorar. A visita é apenas para mostrar que ele não está sozinho e que é hora de dormir. Faça isso por até um minuto e saia, mesmo que o bebê continue chorando. O processo deve ser repetido sempre que necessário e não é aconselhado dar colo.

Vantagens: alguns pais relatam que, após poucos dias, os bebês não despertam mais e passam a dormir sozinhos.

Desvantagens: dentro da psicologia, esse método é chamado de desamparo aprendido, onde o bebê aprende a dormir porque entende que não será atendido, e não porque dormir é gostoso e agradável. Há relatos de que algumas crianças ficam muito nervosas e inseguras por medo do desamparo.

Método da encantadora dos bebês

A técnica da enfermeira Tracy Hogg, conhecida como encantadora dos bebês, se baseia em ma organização de rotina através de uma sequência que deverá ser seguida durante o dia, representada pela sigla, em inglês, EASY (Eat, mamar/comer; Activity, atividade/brincar; Sleep, dormir e You, você, tempo para mãe).

Nessa metodologia, o bebê mama, brinca e dorme. Se ele chorar, tente acalmá-lo sem tirá-lo do berço. Se necessário, faça a técnica de pegar no colo e colocar no berço, até ele aprender a dormir ali. A tática é chamada de o PU/PD (Pick up e Put down). A criança vai para o colo apenas para se acalmar e depois para a cama. Faça isso até ela dormir.

Vantagens: a ideia de criar uma rotina e um ritual do sono é importante para a criança se sentir segura e ler os sinais de que está chegando a hora de dormir. Os pais poderão se sentir melhor de pegá-la no colo toda vez que ela chorar para tranquilizá-la.

Desvantagens: alguns bebês ficam mais estressados de serem pegos e colocados de volta no berço. O método costuma demorar mais tempo e exige paciência. A autora estabelece uma rotina rígida de horários para mamadas e não leva em conta a orientação da OMS, de manter o aleitamento exclusivo e em livre demanda até o sexto mês, estendido até dois anos ou mais.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Método da cadeira

A técnica de Kim West ensina a colocar uma cadeira ao lado do berço para o cuidador se sentar, sem conversar até que o bebê durma. Se preciso, faça um ruído repetido (shhhhhh... shhhhh). Você pode até tocá-lo em alguns momentos, mas não o tempo todo, pois o objetivo é dissociar o toque e o colo do sono.

Quando ele acordar, você voltará para a cadeira e dali continuará confortando-o, com menos contato físico e fala. Depois de três noites, a cadeira deverá ser movida para o meio do quarto, Em mais 3 noites, ela deverá ficar na porta. Nessa técnica, o bebê poderá chorar, mas não estará sozinho.

Vantagens: é um método intermediário, pois você fica com a criança no quarto, o que pode ser menos estressante. É muito importante seguir à risca a redução do contato à medida que os dias vão passando para que o bebê aprenda a acalmar-se gradualmente, sem sua presença.

Desvantagens: o bebê só pode vir para o colo caso chore demais. No mais, deverá ser tranquilizado dentro do berço. Outro ponto negativo é que se você ficar tocando e conversando com seu filho, ele continuará dependente de você.

Getty Images
Imagem: Getty Images

Método 12 Horas de Sono com 12 Semanas de Vida

A autora do livro “12 Horas de Sono com 12 Semanas de Vida”, Suzy  Giordano, defende que o bebê deve se adaptar à rotina da família, e não o contrário. No caso da amamentação, ela sugere aos pais criar uma rotina de mamadas que terá o seu intervalo aumentado de acordo com a idade do bebê, seja de dia ou à noite. Já se a criança chorar na hora de dormir, os cuidadores devem tentar acalmá-la sem tirá-la do berço, é assim que ela aprenderá a dormir sozinha.

Vantagens: aos poucos, o pequeno vai criando padrões de sono. Isso é importante para que ele tenha momentos de descanso e para os pais organizarem as suas tarefas.

Desvantagens: no início da vida do bebê é a família quem se adapta totalmente à rotina dele, portanto, o inverso é quase impossível. A autora não respeita a fase de exterogestação, em que a criança tem a necessidade dessa aproximação.

Fontes: Denise Gurgel, fisioterapeuta materno infantil e consultora do sono de bebês e crianças formada pela International Maternity and Parenting Institute Califórnia-USA; e Maiana Rappaport, psicóloga, consultora do sono infantil e co-coordenadora da Oficina Soninho Bom: dirigida a gestantes e pais com bebês de 0 a 6 meses.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
ANSA
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Blog Lado B
do UOL
do UOL
do UOL
BBC
Estadão Conteúdo
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Topo